Publicidade

Correio Braziliense

Colômbia afirma que corpos encontrados são de casal equatoriano sequestrado

Os corpos do casal de equatorianos foram encontrados na terça-feira, 3/7, no município de Barbacoas


postado em 04/07/2018 19:44

Pasto, Colômbia - A autoridade forense da Colômbia confirmou nesta quarta-feira (4/7) que os corpos encontrados na véspera em uma região fronteiriça com o Equador são de um casal equatoriano sequestrado há quase três meses por dissidentes da ex-guerrilha Farc.

Com a identificação dos corpos de Oscar Villacís, de 24 anos, e Katty Velasco, de 20, já são nove os equatorianos mortos por rebeldes do acordo de paz de 2016 entre o governo colombiano e a outrora guerrilha comunista, entre eles membros do grupo de imprensa do jornal "El Comercio" de Quito e militares.

"A necropsia realizada demonstrou que a morte ocorreu como consequência de múltiplas feridas infligidas por arma cortante afiada nos dois corpos no pescoço e tórax", explicou o diretor do Instituto Médico Legal, Carlos Valdés, em entrevista coletiva na cidade de Pasto.

Os corpos do casal de equatorianos, cujo governo anunciou seu sequestro em 17 de abril, foram encontrados na terça-feira, 3/7, no município de Barbacoas, departamento de Nariño, que tem a maior área de cultivo de drogas do mundo.

O funcionário assegurou que "o tempo da morte" é de "aproximadamente dois meses", e a causa "foi anemia aguda, efeito da lesão produzida por esses cortes nos vasos sanguíneos".

'Encontrar' os responsáveis
O governo do Equador, por meio da Secretaria Nacional de Comunicação, condenou a morte de seus cidadãos e assegurou que está trabalhando "de maneira ágil" com as autoridades colombianas para repatriar os corpos.

"Não descansaremos até encontrar os responsáveis por esses atos repudiáveis", indicou em comunicado.

A Chancelaria equatoriana informou na terça-feira que recebeu informação da descoberta dos corpos e que havia uma "alta chance" de que fosse dos jovens.

Familiares do casal viajaram à cidade de Pasto, próxima à fronteira, para onde os corpos foram levados para serem identificados.

"Meu irmão saiu para a praia por dois dias e nunca mais voltou", disse Elvia Villacís a jornalistas em Pasto, onde chegou na terça-feira para identificar o corpo. 

Oscar Villacís e Katty Velasco, pais de três filhos, foram sequestrados por um grupo rebelde liderado por Walther Arizala, ex-guerrilheiro das Farc conhecido como "Guacho".

A descoberta dos corpos do casal ocorreu duas semanas depois de militares colombianos recuperarem os dos três equatorianos da equipe de imprensa do jornal "El Comercio" de Quito, que foram sequestrados em março e mortos em cativeiro pela mesma organização comandada por "Guacho".

De acordo com as autoridades equatorianas, o casal foi sequestrado na localidade de San Lorenzo, na limítrofe província equatoriana de Esmeraldas, onde, desde janeiro, começou uma onda de violência, que também deixa quatro militares mortos após uma explosão.

Após o sequestro da equipe jornalístico, Quito e Bogotá lançaram uma caça contra Guacho, acusado pelas autoridades colombianas de trabalhar com o cartel de Sinaloa (México).

Sem um comando unificado, os rebeldes dissidentes operam em pontos afastados da Colômbia, onde disputam a renda do tráfico de drogas e da mineração ilegal. Esses grupos são compostos por 1.200 combatentes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade