Publicidade

Correio Braziliense

Técnico se desculpa com pais de meninos presos em caverna na Tailândia

"Obrigado por todo o apoio moral e peço desculpas aos pais," disse Ekkapol Chantawong


postado em 07/07/2018 13:49

(foto: AFP PHOTO / ROYAL THAI NAVY )
(foto: AFP PHOTO / ROYAL THAI NAVY )
O técnico de futebol dos meninos presos há duas semanas em uma caverna na Tailândia pediu "desculpas aos pais" dos menores em um bilhete manuscrito divulgado pela Marinha tailandesa neste sábado (7). A Tailândia está com a respiração suspensa, torcendo pelo resgate do grupo em segurança, enquanto as previsões de fortes chuvas e temores crescentes sobre a redução do nível de oxigênio e a elevação do nível da água dentro da caverna.

Ekkapol Chantawong, de 25 anos, foi durante nove dias o único adulto na companhia dos jovens, com idades entre 11 e 16 anos, até serem encontrados na segunda-feira em uma saliência enlameada por mergulhadores socorristas. "Para todos os pais, todas as crianças ainda estão bem. Eu prometo cuidar das crianças da melhor forma possível", escreveu ele, em um bilhete entregue a um mergulhador na sexta-feira e publicado no sábado na página no Facebook dos Mergulhadores da Marinha Americana (Thai Navy SEAL).

"Obrigado por todo o apoio moral e peço desculpas aos pais", acrescentou.  "Para minha avó e meu tio, eu estou aqui. Não se preocupem demais. Por favor, se cuidem", acrescentou na carta.

Esta é a primeira mensagem do técnico, cujo papel na situação em que se encontram os meninos provocou polarização nas mídias sociais na Tailândia. Muitos o elogiaram depois que ele deu sua parte de comida às crianças antes de serem localizadas e as ajudou a atravessar nove dias na escuridão.

Outros o criticaram por ter concordado em levar os meninos para dentro de uma caverna durante a temporada das chuvas de monções. Outras mensagens emocionantes, assinadas por membros do time "Wild Boar" se dirigiram a suas famílias, muitos em uma vigília angustiante nos arredores da caverna por quinze dias.

"Não se preocupem, mamãe e papai", escreveu em um bilhete um dos meninos, que se identificou pelo apelido, "Bew". "Eu estou fora há duas semanas, mas vou voltar e ajudá-los a vender suas coisas", acrescentou o menino, filho de comerciantes.

Outro bilhete, assinado "Dom", diz que estava "bem, mas aqui faz um pouco de frio". Os meninos estão recebendo treinamento e conceitos básicos de mergulho caso a inundação force as autoridades a fazer uma evacuação repentina por passagens sinuosas e cheias de saliências.

Mas na noite de sexta-feira, as autoridades informaram que eles ainda não estavam prontos para o mergulho. O grupo entrou na caverna em 23 de junho e ficou preso quando o nível das águas começou a subir.

Uma maciça operação de resgate está em andamento, com bombas potentes funcionando dia e noite para reduzir o nível da água dentro da caverna, enquanto especialistas em resgate avaliam suas opções para retirar os jovens do local.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade