Publicidade

Correio Braziliense

Laços entre EUA e Rússia não devem ser reféns de disputa interna, diz Putin

Putin falou pouco depois da cúpula com Trump em Helsinque, na Finlândia


postado em 17/07/2018 06:53

(foto: Brendan Smialowski/AFP)
(foto: Brendan Smialowski/AFP)

 
Washington, Estados Unidos - O presidente russo, Vladimir Putin, chamou a investigação do procurador especial dos Estados Unidos, Robert Mueller, de "jogos políticos" que não deveriam interferir nas relações entre EUA e Rússia.

"São os jogos políticos internos dos Estados Unidos", disse Putin nesta segunda-feira (16) em entrevista à Fox News.

"Não faça da relação entre a Rússia e os Estados Unidos, não a mantenha, refém desta disputa política interna", declarou Putin, falando por meio de um tradutor.

Putin falou pouco depois da cúpula com Trump em Helsinque, na Finlândia, nesta segunda-feira, quando a questão da suposta interferência russa na corrida presidencial de 2016 foi discutida. 

Sua resposta ecoou a posição de Trump sobre a investigação de Mueller a respeito de um possível conluio entre a campanha do atual presidente americano e Moscou. 

Trump reiteradamente tem rotulado a investigação de Mueller como uma "caça às bruxas". 

Em uma entrevista coletiva nesta segunda-feira, com Putin ao seu lado, Trump descartou a conclusão de seus próprios chefes de Inteligência de que o próprio Putin supervisionou o esforço para prejudicar a adversária democrata de Trump, Hillary Clinton. 

Putin sugeriu nesta segunda que a nomeação de Mueller como procurador independente para prosseguir com a investigação carece de legitimidade. 

"Está bem claro para mim que esta é apenas uma luta política interna e não é motivo de orgulho para a democracia americana usar métodos tão sujos e rivalidade política", disse Putin à Fox.

Na mesma entrevista, Putin acusou a Grã-Bretanha de fazer alegações infundadas de que a Rússia é a fonte de uma substância neurotóxica que matou uma pessoa e levou outras três ao hospital, incluindo um ex-espião russo. 

Questionado sobre a acusação de que Moscou estava por trás do ataque com Novichok contra o espião, Putin disse que Londres não forneceu nenhuma prova sobre o caso. 

"Gostaríamos de obter provas documentais, mas ninguém nos dá", disse Putin, que sugeriu que o caso pode ter sido motivado por questões internas do Reino Unido.

"Acabamos de ver as acusações infundadas - por que isso é feito dessa maneira? Por que nosso relacionamento deve ficar pior com isso?" - questionou.

O ex-agente duplo russo Sergei Skripal e sua filha foram internados em estado grave em um hospital de Salisubury, no dia 4 de março, após serem expostos ao Novichok. Os dois se recuperaram.

No dia 30 de junho passado, outras duas pessoas ficaram doentes na mesma região do incidente com Skripal, também vítimas de um agente neurotóxico. Uma das vítimas morreu na semana seguinte.

O sobrevivente revelou que foi contaminado após encontrar um frasco de perfume.

"Que tipo de frasco? Qual é a fórmula química?" - questionou Putin na entrevista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade