Publicidade

Correio Braziliense

Polícia britânica diz ter identificado suspeitos do caso Skripal

Skripal e sua filha foram envenenados no início de março em Salisbury com o agente neurotóxico Novichok


postado em 19/07/2018 07:18 / atualizado em 19/07/2018 07:32

(foto: Adrian Dennis/AFP)
(foto: Adrian Dennis/AFP)

 
Londres, Reino Unido - A Polícia britânica acredita ter identificado os suspeitos do envenenamento com Novichok do ex-agente duplo russo Serguei Skripal e de sua filha, Yulia, e seriam rusos - informa a agência britânica Press Association (PA).

"Os investigadores acreditam que identificaram os suspeitos do ataque com Novichok", comparando imagens das câmeras de vigilância com "documentos de pessoas que entraram no país nessa época", declarou à agência uma fonte ligada ao caso.

Hospitalizados em estado crítico, Serguei e Yulia Skripal conseguiram sobreviver, após permanecerem várias semanas em tratamento intensivo em um hospital(foto: Dylan Martinez/AFP)
Hospitalizados em estado crítico, Serguei e Yulia Skripal conseguiram sobreviver, após permanecerem várias semanas em tratamento intensivo em um hospital (foto: Dylan Martinez/AFP)



Interrogado pela AFP, a Scotland Yard se negou a comentar a informação.

Skripal e sua filha foram envenenados no início de março em Salisbury (sudoeste da Inglaterra) com o agente neurotóxico Novichok, uma tentativa de assassinato que o governo britânico atribuiu à Rússia. Moscou nega categoricamente a acusação.

O caso deflagrou uma grave crise diplomática entre a Rússia e os países ocidentais, a qual deu lugar a expulsões cruzadas de diplomatas.

Hospitalizados em estado crítico, Serguei e Yulia Skripal conseguiram sobreviver, após permanecerem várias semanas em tratamento intensivo em um hospital.

Em 30 de junho, um casal de britânicos foi envenenado, após estar em contato com o Novichok que se encontrava em um frasco. A mulher, Dawn Sturgess, de 44 anos, faleceu, mas seu companheiro, Charlie Rowley, sobreviveu. Está internado em estado "grave, mas estável".

Os investigadores tentam determinar se o veneno provém do mesmo lote usado contra Skripal e sua filha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade