Publicidade

Correio Braziliense

Trump diz que documentos confirmam má conduta do FBI e Justiça

O presidente dos Estados Unidos afirmou, sem provas, que documentos relacionados às escutas telefônicas contra o antigo assessor "confirmam quase sem dúvidas" que FBI enganou o tribunal


postado em 22/07/2018 17:20 / atualizado em 22/07/2018 17:42

Trump postou no Twitter que os documentos
Trump postou no Twitter que os documentos "confirmam quase sem dúvidas" que o Departamento de 'Justiça' e o FBI enganaram os tribunais (foto: AFP/JIM WATSON)
 
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou sem provas neste domingo que documentos recém-divulgados relacionados às escutas telefônicas contra o seu antigo assessor de campanha Carter Page "confirmam quase sem dúvidas" que agências de inteligência enganaram o tribunal que aprovou o mandado autorizando as gravações.

Mas legisladores de ambos os partidos políticos disseram que os documentos não mostram delitos e que eles parecem minar algumas alegações anteriores de Republicanos sobre os motivos da obtenção de um mandado contra Page.

Partes visíveis dos documentos, divulgados no sábado pela Lei de Liberdade de Informação, mostram o FBI dizendo ao tribunal que Page "vem colaborando e conspirando com o governo russo". A agência também disse ao tribunal que "o FBI acredita que Page tem sido alvo de recrutamento direcionado pelo governo russo". Os documentos faziam parte do pedido judicial ao tribunal secreto de vigilância de inteligência estrangeira, que autorizou as escutas contra Page.

Trump escreveu em sua conta no Twitter neste domingo que os documentos "confirmam quase sem dúvidas que o Departamento de 'Justiça' e o FBI enganaram os tribunais. Caça às bruxas fraudada, uma farsa!". 

A divulgação parece solapar algumas das alegações contidas em um memorando preparado pelo presidente do Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes, o deputado Devin Nunes, no início deste ano. Nunes (Partido Republicano, Califórnia) e outros republicanos disseram que a pesquisa sobre Trump em um dossiê preparado pelo ex-agente de inteligência britânico Christopher Steele e paga pelos democratas foi usada de forma inadequada para obter o mandado de segurança para gravar as conversas de Page.

Embora os documentos confirmem que o FBI se baseou, em parte, em informações de Steele para obter o mandado inicial, eles também mostram como o FBI informou ao tribunal sobre a provável motivação de Steele. Uma nota de rodapé no pedido de autorização apresenta a avaliação do FBI sobre a história de Steele e os possíveis interesses relacionados, acrescentando que, apesar da preocupação política, o departamento acreditava que pelo menos parte de seu relatório era "crível".

O deputado democrata Adam Schiff, da Califórnia, membro do Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes, disse que os documentos detalham os motivos pelos quais "o FBI estava tão preocupado que Carter Page pudesse estar agindo como um agente de uma potência estrangeira". "Foi um pedido sólido e teve renovações assinadas por quatro juízes diferentes nomeados por três presidentes republicanos diferentes", disse Schiff no programa "This Week", da ABC. 

O senador republicano Marco Rubio, da Flórida, também rompeu com Trump, dizendo que ele não acha que o FBI tenha feito algo errado na obtenção de mandados contra o governo. "Eu tenho uma visão diferente sobre essa questão do que o presidente e a Casa Branca", disse Rubio no programa "Face the Nation", da CBS. "Você tem um indivíduo aqui que se gabou abertamente de seus laços com a Rússia e os russos." Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade