Publicidade

Correio Braziliense

México quer concluir revisão do Nafta, diz futuro negociador mexicano

Jesus Seade disse que conseguir chegar a um acordo final requer um pouco de criatividade, mas também de 'cumplicidade com a contraparte'


postado em 23/07/2018 17:30

O México renegocia o Nafta depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o qualificou como o pior acordo já assinado por seu país e o culpa pela perda de empregos entre os americanos(foto: Alfredo Estrella / AFP)
O México renegocia o Nafta depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o qualificou como o pior acordo já assinado por seu país e o culpa pela perda de empregos entre os americanos (foto: Alfredo Estrella / AFP)

 Puerto Vallarta, México - O futuro negociador do México do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), Jesús Seade, disse nesta segunda-feira (23/7) que o país deverá buscar uma forma de concluir a complexa negociação com os Estados Unidos e o Canadá, iniciada há quase um ano.

"O desenvolvimento técnico foi muito bom, todas as posições defendidas são as corretas, todas as posições rejeitadas são as corretas, mas têm uma base técnica, temos que encontrar a forma de levar isso a uma conclusão", disse à imprensa Seade, que foi nomeado para o cargo pelo presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador. 

No contexto da cúpula da Aliança do Pacífico, realizada no balneário de Puerto Vallarta, Seade disse que conseguir chegar a um acordo final requer um pouco de criatividade, mas também de "cumplicidade com a contraparte". 

"Não chegar dizendo 'não' e que o outro responda 'também não', e sim chegar com um espírito de cooperação", disse. 

"Vamos ver se podemos encontrar a forma de mexer as fichas de forma que isso aconteça", acrescentou. 

O México renegocia o Nafta depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o qualificou como o pior acordo já assinado por seu país e o culpa pela perda de empregos entre os americanos. 

As negociações, que começaram em agosto de 2017, estão estagnadas pelas duras exigências dos Estados Unidos.  Espera-se que em 26 de julho haja uma reunião ministerial do Nafta em Washington D.C., à qual Seade comparecerá. 

Para o México, manter o Nafta é crucial, já que os Estados Unidos são o destino de 80% de suas exportações. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade