Publicidade

Correio Braziliense

Ex-presidente colombiano Uribe renuncia ao Senado por investigação judicial

Em seu twitter Uribe se disse 'moralmente impedido de prosseguir como senador'


postado em 24/07/2018 19:50

Uribe havia sido empossado no Senado na sexta-feira passada (20/7)(foto: Raul Arboleda / AFP)
Uribe havia sido empossado no Senado na sexta-feira passada (20/7) (foto: Raul Arboleda / AFP)

Bogotá, Colômbia - O ex-presidente da Colômbia Álvaro Uribe renunciou nesta terça-feira (24/7) ao Senado, após ser vinculado formalmente a uma investigação por suborno e fraude processual. 

"A Suprema Corte me convoca para uma indagação, não me ouviram previamente, mas me sinto moralmente impedido de prosseguir como senador", escreveu Uribe no Twitter.

Uribe, que presidiu a Colômbia entre 2002 e 2010, foi empossado no Senado na sexta-feira passada (20/7), após obter a maior votação das legislativas de março.

O caso no qual é investigado remonta a 2012, quando Uribe denunciou o legislador opositor Iván Cepeda à Suprema Corte por um suposto complô para tentar envolvê-lo em atividades criminais de grupos de extrema direita. 

Diante da denúncia, a Justiça não apenas se absteve de processar Cepeda, mas decidiu pedir uma investigação contra Uribe por manipulação de testemunhas.

Em uma nota, o tribunal informou que Uribe será chamado para esclarecer o caso. "A Suprema Corte de Justiça obteve provas que permitem abrir uma investigação formal contra" o ex-presidente "pelos crimes de suborno e fraude processual", precisou o tribunal.

Uribe, líder do partido do presidente eleito, Iván Duque, enviou uma mensagem à direção do Congresso formalizando sua demissão: "me sinto moralmente impedido para atuar como senador e ao mesmo tempo fazer minha defesa; por isto renuncio ao Senado da República e peço que aceitem a renúncia".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade