Publicidade

Correio Braziliense

Amigos participam de missa em homenagem a brasileira morta na Nicarágua

Ernesto Medina, reitor da Universidade Americana (UAM), onde Raynéia cursava o sexto e último ano de medicina, esteve presente na celebração


postado em 25/07/2018 23:07 / atualizado em 25/07/2018 23:13

(foto: Oscar Sánchez/El Nuevo Diário/Cortesia)
(foto: Oscar Sánchez/El Nuevo Diário/Cortesia)
 
Um pôster de Raynéia Gabrielle de Lima sorridente, usando o jaleco branco e com o estetoscópio no pescoço foi colocado no altar, diante de uma coroa de flores. Na noite desta quarta-feira (25/7), amigos e colegas da estudante universitária assassinada na véspera por supostos paramilitares aliados ao governo do presidente nicaraguense, Daniel Ortega, encomendaram uma missa em memória da pernambucana de 30 anos, na Catedral de Manágua. 

Ernesto Medina, reitor da Universidade Americana (UAM), onde Raynéia cursava o sexto e último ano de medicina, esteve presente na celebração. Por telefone, ele contou ao Correio que foi uma missa muito íntima. "Durante a homilia, o sacerdote dedicou palavras muito carinhosas para ela. Destacou que, mesmo com o nosso país enfrentando essa situação, Raynéia decidiu permanecer na Nicarágua. Também fez um chamado aos colegas dela para que sejam bons médicos a serviço da população e que, quando receberem ordens contrárias às suas consciências, não as cumpram", relatou.

Segundo ele, o Ministério da Saúde deu ordens para que os hospitais públicos não atendam os feriados que chegarem dos enfrentamentos com a polícia. "Foi um momento muito emotivo, em que demos um abraço pela paz. Seus companheiros estavam todos chorando. Um amigo dela colocou uma pequena bandeira do Brasil ao lado do retrato. No fim, o sacerdote pediu uma salva de palmas prolongada para ela. Foi uma celebração muito linda", disse Medina.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade