Publicidade

Correio Braziliense

Casa Branca enfrenta duras críticas por barrar jornalista da CNN

Collins, segundo a CNN, denunciou que funcionários da Casa Branca lhe comunicaram que não poderia participar de entrevista por ter feito mais cedo perguntas impróprias


postado em 26/07/2018 06:47

(foto: Nicholas Kamm/AFP)
(foto: Nicholas Kamm/AFP)

 
Washington, Estados Unidos - A Casa Branca enfrentava duras críticas nesta quarta-feira por ter impedido o acesso da jornalista da CNN Kaitlan Collins a uma entrevista coletiva, por ela ter feito perguntas "impróprias".

Collins, segundo a CNN, denunciou que funcionários da Casa Branca lhe comunicaram que não poderia participar do evento com Trump e Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, por ter feito mais cedo perguntas "impróprias" ao presidente americano.

"Condenamos com força a decisão equivocada e imprópria da Casa Branca de impedir o acesso de um dos nossos funcionários a uma entrevista coletiva aberta por ter realizado perguntas que não gostaram", protestou a Associação de Correspondentes da Casa Branca.


A CNN também condenou a decisão: "apenas porque a Casa Branca se sente incomodada por uma pergunta sobre notícias do dia não significa que ela não seja relevante ou não deve ser feita".

A porta-voz da Casa Branca Sarah Sanders informou que Collins teve seu acesso negado após se recusar a sair do local ao final de outra entrevista.

"No fim de uma coletiva no Salão Oval ela gritou perguntas e se negou a sair, apesar de solicitada várias vezes. Assim, nosso pessoal lhe informou que não seria mais bem-vinda no próximo evento na Casa Branca, mas ficou claro que qualquer outro jornalista da sua rede poderia participar".

A administração Trump tem uma relação conflitiva com a imprensa americana, a qual o presidente Trump costuma atribuir "Fake news".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade