Publicidade

Correio Braziliense

Polícia da Nicarágua prende suspeito de matar estudante brasileira

Informação foi confirmada pela Polícia Nacional da Nicarágua por meio de nota


postado em 27/07/2018 16:25 / atualizado em 27/07/2018 17:04

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
 
A Polícia Nacional da Nicarágua divulgou comunicado, nesta sexta-feira, no qual anuncia a prisão de Pierson Gutiérrez Solis, 42 anos, acusado de ser o autor dos disparos que mataram a estudante de medicina brasileira Raynéia Gabrielle Lima, na última segunda-feira.
 
De acordo com a nota, o suspeito carregava uma carabina M4. "O expediente de investigação policial, o detido e as evidências serão remetidos à ordem das autoridades competentes", afirma o texto (veja abaixo). As autoridades não divulgaram se Pierson era vigilante de uma empresa privada, como sustentava a versão inicial sobre o suspeito, ou se tratava-se de um paramilitar. 
 
O Correio entrou em contato com Maria José da Costa, mãe de Raynéia, que demonstrou ceticismo. "Se não for um laranja, né? Porque a suspeita era de que tinha sido um vigilante particular. Ele vai ser obrigado até a admitir que foi ele", comentou. Jornalistas nicaraguenses admitiram à reportagem o fato de o suposto vigilante particular portar uma arma de grosso calibre, considerada arma de guerra. 
 

Embaixador convocado 

Mais cedo, o Brasil considerou "extremamente insuficientes" as informações entregues pela Nicarágua sobre a morte da estudante, ocorrida durante os protestos contra o presidente Daniel Ortega. A afirmação foi do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes.

Brasília convocou o embaixador da Nicarágua no país para receber informações sobre os eventos e logo em seguida ligou para seu embaixador em Manágua para consultas.
 
 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade