Publicidade

Correio Braziliense

Produção de cobre do Chile é ameaçada por bloqueios e possíveis greves

Os trabalhadores exigem a restituição de dois operários demitidos


postado em 30/07/2018 19:54

(foto: Fernanda Seixas/CB/D.A Press)
(foto: Fernanda Seixas/CB/D.A Press)

Santiago, Chile - A produção de cobre do Chile, a maior do mundo, foi afetada nesta segunda-feira (30/7) por uma paralisação na mina Chuquicamata enquanto na grande mina Escondida a greve é considerada iminente.

Na madrugada desta segunda (30/7), trabalhadores da mineradora estatal Codelco bloquearam os acessos a Chuquicamata, no norte do país, exigindo a restituição de dois operários demitidos.

Se "inicia paralisação total de Chuquicamata, divisão tomada, caminhos bloqueados", disse um dos sindicatos em comunicado.  

A Codelco rechaçou a mobilização, que afirmou ser "ilegal". A paralisação "altera a ordem pública, põe as pessoas em risco, impede o desenvolvimento normal do negócio e vai contra todo o processo de diálogo", afirmou em comunicado de imprensa.

O governo se comprometeu a "garantir que se respeite a ordem pública", segundo a porta-voz oficial, Cecilia Pérez, acrescentando que "o Ministério do Interior está trabalhando e vamos manter a ordem pública".

Contudo, para analistas, o que teria mobilizado para o protesto é o interesse dos trabalhadores de influenciar no plano para reconverter a jazida em uma mina subterrânea, o que implicaria na demissão de cerca de 1.700 dos 5.600 trabalhadores atuais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade