Publicidade

Correio Braziliense

Partido que governa o Zimbábue conquista maioria no Parlamento

Ao mesmo tempo, o atual presidente Emmerson Mnangagwa, líder do Zanu-PF e que aspira o segundo mandato, se mostrou confiante na vitória


postado em 01/08/2018 08:54

Harare, Zimbábue - O partido que governa o Zimbábue desde 1980 conquistou a maioria absoluta dos deputados nas eleições legislativas de segunda-feira, as primeiras no país sem a presença de Robert Mugabe, de acordo com resultados parciais anunciados nesta quarta-feira.

"O Zanu-PF conseguiu 110 cadeiras (de um total de 210) na Assembleia Nacional, enquanto o partido opositor Movimento pela Mudança Democrática (MDC) conseguiu 41 deputados", anunciou o canal de televisão público ZBC, com base nos resultados da Comissão Eleitoral.

Nenhum partido reagiu até o momento ao anúncio dos resultados. 

Na terça-feira, no entanto, a MDC reivindicou a vitória nas urnas. 

"Recebemos os resultados de nossos colaboradores (...). Os resultados mostram, para além de qualquer dúvida razoável, que ganhamos as eleições e que o próximo presidente do Zimbábue será Nelson Chamisa", afirmou um dos principais líderes do MDC, Tendai Biti, que citou o candidato do partido. 

Ao mesmo tempo, o atual presidente Emmerson Mnangagwa, líder do Zanu-PF e que aspira o segundo mandato, se mostrou confiante na vitória. "As informações obtidas por meus representantes são muito positivas", disse Mnangagwa.

Os resultados definitivos ainda não foram anunciados. O canal ZEC advertiu que os números finais podem ser divulgados apenas na sexta-feira ou sábado, o que revoltou o MDC, que acusa a Comissão Eleitoral de querer manipular os resultados da eleição presidencial. 

Estas eleições foram as primeiras nos últimos 40 anos no Zimbábue sem a presença de Robert Mugabe, deposto em novembro pelo exército e o Zanu-PF, seu partido, depois de passar 37 anos no poder. 

Os eleitores compareceram em grande número às urnas na segunda-feira. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade