Publicidade

Correio Braziliense

Brexit sem acordo é hipótese mais provável, diz ministro britânico

O plano Chequers, apresentado em julho, prevê a criação de uma zona de livre-comércio para bens e produtos agrícolas entre Reino Unido e a UE, mantendo, a princípio, a mesma regulamentação das duas partes


postado em 05/08/2018 13:21

(foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)
(foto: Daniel Leal-Olivas/AFP)
 
O ministro do Comércio britânico, Liam Fox, avaliou, em uma entrevista ao Sunday Times, que a possibilidade de um Brexit sem acordo entre Londres e a UE é a mais provável, criticando a "intransigência" da Comissão Europeia nas negociações.

Fox avaliou que é grande a probabilidade de que o Reino Unido deixe a União Europeia sem um acordo, embora as negociações entre as duas partes continuem até a cúpula europeia em outubro, que deve definir como se dará o divórcio, marcado para 29 de março de 2019. 

"Acho que a intransigência da Comissão Europeia nos leva a uma saída sem acordo", disse o ministro na entrevista publicada neste domingo (5/8). 

Fox criticou que Bruxelas mantenha "obsessões teológicas" em vez de se preocupar com o "bem-estar econômico dos europeus". "Assim só pode haver uma saída", avaliou. 

O ministro acusou o negociador da União Europeia, Michel Barnier, de ter modificado a proposta de saída britânica - o plano Chequers - apenas porque se baseia em soluções "que nunca foram sugeridas antes". 

"Se os europeus não gostam da proposta que colocamos na mesa, então eles têm que chegar a uma que possamos aceitar", acrescentou.

O plano Chequers, apresentado em julho, prevê a criação de uma zona de livre-comércio para bens e produtos agrícolas entre Reino Unido e a UE, mantendo, a princípio, a mesma regulamentação das duas partes neste setor.

O plano também traz uma proposta para solucionar o problema da fronteira entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte, mas foi rejeitada por Barnier.

Vários membros do governo britânico se reuniram nesta semana com dirigentes europeus para convencê-los a aceitar a proposta.

A proposta, que provocou a renúncia de dois membros do governo britânico, continua sendo alvo de críticas na Grã-Bretanha.

Este plano "nos deixará meio dentro e meio fora da UE, ainda obrigados pelas regulamentações e os dispositivos europeus, o pior dos dois mundos", lamentou no sábado ao The Telegraph a ex-secretária de Desenvolvimento, a conservadora Priti Patel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade