Publicidade

Correio Braziliense

Assessor de Trump diz que EUA não se ilude com desnuclearização da Coreia

Trump promoveu sua cúpula de Singapura com Kim como um avanço histórico para a desnuclearização norte-coreana


postado em 05/08/2018 13:30

(foto: Saul Loeb/AFP)
(foto: Saul Loeb/AFP)
 
Enquanto a Coreia do Norte continua fabricando mísseis e produzindo plutônio, o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, disse neste domingo (5/8) que "não há ninguém no governo que se ilude com as perspectivas de uma verdadeira desnuclearização da Coreia do Norte".

O assessor do presidente americano Donald Trump disse que "poderia chegar" o momento em que os Estados Unidos concluirão que o líder norte-coreano não está levando a sério suas promessas de desnuclearização.

Mas Bolton, em entrevista ao canal Fox, disse que Trump tinha feito tudo que era possível para que fosse mais fácil para Kim Jong Un, presidente da Coreia do Norte, cumprir as promessas feitas na cúpula de 12 de junho em Singapura. 

"O presidente está dando a Kim Jong Un uma 'masterclass' de como manter a porta aberta", disse, "e se os norte-coreanos não entendem como atravessá-la, mesmo os críticos mais ferozes do presidente não poderão dizer que foi porque ele não abriu-a o suficiente". 

Consultado sobre quanto os Estados Unidos estão dispostos a esperar - em meio a relatos sobre produção de plutônio, fabricação de mísseis e violações de sanções - Bolton disse que dependia de um sinal claro de vontade por parte da Coria do Norte. 

"Se tomarem a decisão estratégica de deixar de fabricar armas nucleares, podem fazê-lo em um ano", disse Bolton. "Estamos esperando ver evidências de que essa decisão estratégica foi tomada". 

Trump promoveu sua cúpula de Singapura com Kim como um avanço histórico para a desnuclearização norte-coreana. Mas, desde então, ambas as partes se queixaram sobre o ritmo do progresso - ou a falta dele. 

O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, disse no sábado em Singapura que os Estados Unidos estavam agindo com uma impaciência "alarmante".  

Já o secretário de Estado Mike Pompeo afirmou na sexta-feira estar "otimista", embora na semana passada tenha informado a senadores que o país asiático continuava a produzir material nuclear. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade