Publicidade

Correio Braziliense

Juan Manuel Santos dispensa com sarcasmo acusações de Maduro sobre atentado

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou nesta segunda-feira em sua conta no Twitter que estava ocupado no último sábado com "coisas mais importantes" do que atentar contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro


postado em 06/08/2018 16:53

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou em sua conta no Twitter que estava ocupado no último sábado com
O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou em sua conta no Twitter que estava ocupado no último sábado com "coisas mais importantes" do que atentar contra o presidente Nicolás Maduro (foto: AFP)

 
O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou nesta segunda-feira em sua conta no Twitter que estava ocupado no último sábado com "coisas mais importantes" do que atentar contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que o acusa de envolvimento no que Caracas tem chamado de tentativa de assassinato contra o líder chavista.

"Ao presidente Nicolás Maduro: não se preocupe. No sábado, estava em coisas mais importantes, batizando minha neta Celeste", escreveu o colombiano.

Há dois dias, drones carregados com explosivos atacaram as redondezas do local em que Maduro discursava. O evento era um ato oficial com as forças armadas e ocorria no centro da capital venezuelana. Duas pessoas foram presas e sete militares ficaram feridos. 

Um grupo até então desconhecido, autodenominado "Soldados de Flanela", publicou no Twitter uma mensagem assumindo a responsabilidade pelo suposto ataque. O plano, segundo a organização, era descarregar explosivos C4 contra o palco em que estava o presidente venezuelano, mas, disseram, os drones foram abatidos por soldados.

Na mesma plataforma virtual, o perfil oficial de Maduro replicou diversas mensagens apoiando a tese de participação de Santos no ato, inclusive algumas do presidente da Bolívia, Evo Morales. No dia do ocorrido, já havia verbalizado a acusação contra a Colômbia e contra a "ultradireita", que é como se refere à oposição nativa. (Com informações da Associated Press)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade