Publicidade

Correio Braziliense

Coreia do Norte suspende entrega de vistos antes de seu 70º aniversário

Em sua página on-line, a Koryo Tours, uma empresa popular entre os ocidentais que querem viajar para a Coreia do Norte, diz que foi informada, em 13 de agosto, que "todas as solicitações de visto estavam congeladas".


postado em 14/08/2018 09:11

Seul, Coreia do Sul - A Coreia do Norte suspendeu a entrega de vistos de turista, com a proximidade das comemorações do 70º aniversário de sua fundação, previstas para o mês que vem - conforme anunciou nesta terça-feira (14/8) uma agência de viagens especializada com sede na China.

Em sua página on-line, a Koryo Tours, uma empresa popular entre os ocidentais que querem viajar para a Coreia do Norte, diz que foi informada, em 13 de agosto, de que "todas as solicitações de visto estavam congeladas". O governo não se deu nenhuma razão para a mudança, disse a Koryo Tours, acrescentando que a medida estará em vigor até 9 de setembro, data das celebrações do 70º aniversário da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), o nome oficial do regime.

A data é, com frequência, comemorada com grandes desfiles militares, ou espetáculos, nos quais milhares de pessoas executam impressionantes coreografias. O presidente chinês, Xi Jingping, está entre as autoridades que devem assistir aos festejos.

Durante seu discurso de Ano Novo, o líder Kim Jong-un declarou que os norte-coreanos "celebrariam o 70º aniversário de sua República como um grande acontecimento". Desde o início de 2018, a península passa por um processo de distensão, após anos de atrito pelos programas nuclear e balístico da Coreia do Norte, que lhe valeram uma onda de sanções internacionais.

Esse degelo esteve marcado por duas reuniões entre Kim e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e uma cúpula histórica entre Kim e o presidente americano, Donald Trump. Kim se comprometeu a trabalhar a favor da desnuclearização da península, uma fórmula vaga sujeita a diversas interpretações.

Até o momento, Pyongyang não adotou nenhuma medida confirmada e denunciou as exigências "unilaterais" dos Estados Unidos e seus "métodos de gângsteres". Ao mesmo tempo, os Estados Unidos pediram à comunidade internacional que mantenha as severas sanções contra Pyongyang.

Ainda não se sabe se, nesse contexto, a Coreia do Norte exibirá neste aniversário seu mais potente armamento, como costuma fazer nesse evento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade