Publicidade

Correio Braziliense

Tempestade tropical Lane provoca inundações no Havaí

Os efeitos de Lane foram sentidos com ventos fortes que atingiram as ilhas Maui e Oahu


postado em 25/08/2018 10:54

(foto: Mario Tama/Getty Images/AFP)
(foto: Mario Tama/Getty Images/AFP)
 
Chuvas torrenciais acompanhadas de fortes ventos atingiam o Havaí neste sábado (25/8), forçando milhares de pessoas a procurar refúgio em abrigos, enquanto o avanço lento da tempestade tropical Lane causava inundações e o risco de deslizamentos de terra.

Às 09h00 (6h00 de Brasília), Lane estava a 220 quilômetros da capital Honolulu e se movia lentamente a pouco mais de 4 quilômetros por hora para o norte.

As faixas externas da tempestade "provocam graves inundações em algumas partes do arquipélago havaiano", alertou o Centro de Furacões do Pacífico Central em seu último boletim informativo.

Lane, que pode gerar tornados isolados, "produzirá chuvas excessivas neste fim de semana, que poderiam causar enchentes e deslizamentos de terra", acrescenta o boletim.

Com rajadas de vento de até 100 quilômetros por hora, a tempestade deve se dirigir para o oeste nas próximas horas, afastando-se das ilhas do Pacífico neste sábado à noite.

Várias partes do arquipélago havaiano, como as duas ilhas mais populosas Ohau e Maui, seguem em alerta, e as autoridades multiplicaram os pedidos de prudência. 

"É muito perigoso permanecer ao ar livre, particularmente nas zonas inundadas", alertou Brock Long, chefe da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA), na sexta-feira, durante uma coletiva de imprensa.

"Os cidadãos precisam estar preparados para cortes de energia e grandes danos às infraestruturas", acrescentou ele, enquanto a população estocava água, alimentos e gasolina.

Milhares buscam abrigo

Os efeitos de Lane foram sentidos com ventos fortes que atingiram as ilhas Maui e Oahu (onde fica Honolulu).

Cerca de 60 cm de água caíram durante as últimas 36 horas na famosa praia de Waikiki, causando o seu fechamento, enquanto comerciantes e restauradores tentavam proteger seus estabelecimentos com a ajuda de sacos de areia.

Em algumas localidades da Ilha Grande, a primeira impactada e onde o vulcão Kilauea ainda está em erupção, 760 mm de chuva caíram em 24 horas.

O nível do mar deve atingir 1,20 m a mais do que o nível habitual durante a maré alta, com ondas potencialmente destrutivas, segundo meteorologistas.

Mais de 2.000 pessoas já se dirigiram aos 45 centros de evacuação, indicou Brad Kieserman, vice-presidente de Operação e Logística em Desastres da Cruz Vermelha Americana.

"Não ficaria surpreso se ao acordar amanhã (sábado) ver os centros de evacuação com entre 2.500 e 3.000 pessoas", disse ele, observando que "a população da ilha está reagindo de acordo com a ameaça da tempestade".

"Há um sentimento de preocupação, mas espero que tudo corra bem", confessou à AFP um morador de Haleiwa, na ilha de Oahu. 

Dado o possível risco devastador da tempestade tropical, as autoridades se prepararam. 

"Nossas equipes cooperam estreitamente com o Estado [do Havaí] e com as autoridades locais", tuitou o presidente Donald Trump na quinta-feira. 

O presidente dos Estados Unidos telefonou na sexta-feira ao governador do Havaí, David Ige, para "oferecer seu apoio" aos habitantes do arquipélago, indicou um comunicado da Casa Branca.

Trump decretou estado de emergência no Havaí na quinta-feira, desbloqueando fundos federais e permitindo que a FEMA fornecesse assistência adequada para apoiar as medidas de emergência necessárias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade