Publicidade

Correio Braziliense

Prefeita acusa Trump de 'matar os porto-riquenhos com sua negligência'

A prefeita Carmen Yulín Cruz acusa o presidente dos EUA um dia depois do governo deste território americano elevar de 64 para quase 3.000 o número de mortos pelo furacão Maria


postado em 29/08/2018 16:45

"Esta será uma mancha em sua presidência que durará toda a sua vida", disse a prefeita de San Juan (foto: Divulgação/Twitter)
 
Miami, Estados Unidos - O presidente Donald Trump "matou os porto-riquenhos com sua negligência", acusou nesta quarta-feira (29) a prefeita da capital San Juan, um dia depois do governo deste território americano elevar de 64 para quase 3.000 o número de mortos pelo furacão Maria.

"Que vergonha para a Casa Branca e que vergonha para o presidente, porque nem mesmo uma vez, nem mesmo ontem, disse que lamenta pelo povo de Porto Rico", disse a prefeita Carmen Yulín Cruz ao canal CNN.

Durante os dias e as semanas posteriores ao furacão de 20 de setembro, choveram críticas a Trump por sua falta de ação diante do desastre generalizado no qual Porto Rico estava mergulhado. A ilha passou semanas sem comunicação, e grande porções do território ficaram sem energia elétrica durante meses.

Um estudo da Universidade George Washington descobriu na terça-feira, comparando registros de mortes de anos anteriores, que houve "um excesso" de 2.975 falecimentos entre setembro e fevereiro, o que inclui tanto os que morreram pelo impacto do furacão como os que foram vítimas das consequências deixadas por este.

"O governo Trump matou os porto-riquenhos com sua negligência", disse a prefeita. "Esta será uma mancha em sua presidência que durará toda a sua vida".

Um mês depois do furacão, quando a cifra oficial de falecidos estava em 16, o presidente declarou que o desastre não era nada comparado aos mais de 1.800 mortos deixados pelo furacão Katrina na Louisiana em 2005.

Esse comentário "moldou e dificultou o tipo de resposta que obtivemos, de assistência federal, de mobilização federal e de envio de bens a Porto Rico", afirmou em uma entrevista à CNN a representante democrata por Nova York Nydia Velázquez.

"É indiscutível que milhares de pessoas morreram por essa resposta desastrosamente inadequada", continuou.

Esse comentário do presidente, somado à demora da ajuda e às imagens de Trump jogando rolos de papel higiênico aos danificados, indignou a população.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, disse na terça-feira, após a divulgação do novo balanço, que o presidente Trump "continua orgulhoso do trabalho que a família federal realizou para ajudar nossos concidadãos em Porto Rico".

"Do que está orgulhoso?", reagiu Carmen Yulín Cruz. "De 2.975 mortes? É disso que você está orgulhoso?".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade