Publicidade

Correio Braziliense

NBC nega tentativa de frear investigação sobre abusos de Weinstein

De acordo o jornal The New York Times e o site The Daily Beast, a emissora NBC tentou deter a investigação liderada pelo jornalista Ronan Farrow e pelo produtor Rich McHugh


postado em 31/08/2018 20:04 / atualizado em 31/08/2018 20:15

Um porta-voz da NBC qualificou as acusações do produtor como uma
Um porta-voz da NBC qualificou as acusações do produtor como uma "mentira descarada" (foto: AFP)
 
Nova York, Estados Unidos - A direção da NBC qualificou nesta sexta-feira (31) de "mentira descarada" a informação de que a emissora teria tentado frear uma investigação sobre acusações de abuso sexual contra Harvey Weinstein, ao suspender e inclusive ameaçar seus jornalistas, como relataram alguns meios de comunicação americanos.

De acordo com informação do jornal The New York Times e do site The Daily Beast, a emissora NBC tentou deter a investigação liderada pelo jornalista Ronan Farrow e pelo produtor Rich McHugh.

McHugh foi citado pelo Times assegurando que lhe ordenaram, depois de passar meses investigando, não entrevistar uma das acusadoras de Weinstein por uma ordem proveniente "dos níveis mais altos da NBC".

"Três dias antes de Ronan e eu irmos para Los Angeles entrevistar uma mulher com uma acusação de estupro crível contra Harvey Weinstein, me mandaram parar, não entrevista essa mulher e deixar completamente de lado essa história", disse ao jornal McHugh, que deixou a NBC em meados de agosto.

O Daily Beast informou citando fontes não identificadas que a NBC, pressionada pelos advogados do então famoso magnata de Hollywood, ameaçou prejudicar Farrow se continuasse com a matéria. 

Mais tarde, Farrow levou o tema à revista The New Yorker, onde sua publicação desatou uma série de investigações contra Weinstein que, finalmente, levaram a sua denúncia com acusações por vários crimes, e inspiraram o movimento #MeeToo pelas vítimas de assédio sexual. 

Em um comunicado transmitido nesta sexta à AFP, um porta-voz da NBC qualificou as acusações do produtor de uma "mentira descarada".

"Depois de a NBC pedir a Ronan Farrow, em agosto de 2017, que investigasse sobre Weinstein e o apoiasse em seu esforço por oito meses, ele achou que a sua investigação estava pronta para ir ao ar, mas a NBC não estava de acordo porque, infelizmente, não tinha uma só vítima - ou testemunha - dos abusos de Weinstein que aceitasse ser identificada", assegurou a emissora.

O canal, propriedade do conglomerado de cabo e entretenimento Comcast, afirmou previamente que a história de Farrow não estava pronta quando saiu da NBC.

Farrow venceu o Prêmio Pulitzer por seus artigos sobre Weinstein, que começaram em outubro de 2017.

Depois que a história com Weinstein foi revelada, o apresentador estrela da NBC Matt Lauer foi forçado a pedir demissão por acusações de assédio sexual, e o ex-apresentador de notícias da mesma cadeia, Tom Brokaw, enfrenta acusações de avanços indesejados.   

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade