Publicidade

Correio Braziliense

Egito aprova lei para combater notícias falsas nas redes sociais

Contas de redes sociais com mais de 5 mil seguidores estão sob supervisão da principal autoridade de imprensa, que pode bloqueá-las se descobrir que elas divulgam fake news


postado em 01/09/2018 17:14 / atualizado em 01/09/2018 18:42

Em agosto, uma lei contra crimes virtuais foi ratificada, dando às autoridades locais poder para bloquear sites que publiquem conteúdos considerados
Em agosto, uma lei contra crimes virtuais foi ratificada, dando às autoridades locais poder para bloquear sites que publiquem conteúdos considerados "ameaças à segurança nacional" (foto: Paulo Lannes/Esp. CB/D.A Press)
 

O Egito aprovou uma lei que impõe regras sobre as redes sociais para combater a propagação de notícias falsas. A lei, publicada no periódico oficial do país neste sábado, coloca contas de redes sociais com mais de 5 mil seguidores sob supervisão da principal autoridade de imprensa, que pode bloqueá-las se descobrir que elas estão divulgando desinformação.


Em agosto, o presidente Abdul Fatah Khalil Al-Sisi ratificou uma lei contra crimes virtuais, dando às autoridades poder para bloquear sites que publiquem conteúdos considerados "ameaças à segurança nacional".

A Anistia Internacional criticou as duas leis numa declaração publicada em julho, dizendo que elas "dão ao Estado controle quase total sobre a mídia impressa, online e televisiva".

O Egito tem regularmente prendido jornalistas como parte da repressão à dissidência desde a derrubada do presidente Mohamed Mursi por meio de um golpe militar em 2013.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade