Publicidade

Correio Braziliense

Por causa de ciúmes, madrasta manda estuprar e matar criança de 9 anos

O caso aconteceu na Índia. O corpo em decomposição da vítima foi encontrado em um matagal próximo a sua casa, com sinais de violência sexual e sem os globos oculares.


postado em 05/09/2018 07:30 / atualizado em 05/09/2018 08:21

As autoridades acreditam que a mulher pediu a seu filho de 14 anos e a dois de seus amigos, de 14 e 19 anos, que violentassem a criança.(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
As autoridades acreditam que a mulher pediu a seu filho de 14 anos e a dois de seus amigos, de 14 e 19 anos, que violentassem a criança. (foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
 
Srinagar, Índia - A polícia indiana prendeu uma mulher e outras quatro pessoas acusadas de estuprar, assassinar e mutilar uma menina de nove anos. O corpo em decomposição da menor de idade foi encontrado na terça-feira (4/9) em um matagal a um quilômetro de sua casa, no distrito de Baramulla, na área da Caxemira administrada pela Índia, informou a polícia.

De acordo com a polícia, a mulher, de 36 anos, que era madrasta da vítima, tinha ciúme da menina e da segunda mulher de seu marido. No dia 24 de agosto decidiu levar a jovem para um bosque. As autoridades acreditam que a mulher pediu a seu filho de 14 anos e a dois de seus amigos, de 14 e 19 anos, que violentassem a criança.

A madrasta foi acusada de estrangular a vítima, enquanto o filho utilizou um machado. Depois, um dos amigos do filho jogou ácido no corpo e o outro retirou os olhos antes de abandonar o cadáver no matagal.

Um homem de 28 anos também foi detido pelo caso. "As condições físicas e as análises forenses preliminares do cadáver corroboram todos os fatos", afirma um comunicado da polícia. O superintendente Imtiyaz Hussain afirmou à AFP que os adolescentes confessaram o crime. "Serão levados a um reformatório e tratados de acordo com a lei para menores de idade", disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade