Publicidade

Correio Braziliense

Policial entra no apartamento errado e mata vizinho por engano, no Texas

A mulher teria saído do elevador no andar errado e, ao entrar no apartamento que julgava ser o seu, atirou no vizinho, pensando se tratar de um intruso


postado em 10/09/2018 10:09 / atualizado em 10/09/2018 12:48

(foto: Polícia de Dallas/Divulgação)
(foto: Polícia de Dallas/Divulgação)
 
Estados Unidos - As autoridades do Texas prenderam no domingo (9/9) uma policial que atirou e matou um negro quando entrou por engano no apartamento da vítima, informou o Departamento de Segurança Pública do estado. A oficial Amber Guyger, do Departamento de Polícia de Dallas, foi levada para a penitenciária do condado, depois que, na quinta-feira (6/9) à noite, ao final de seu expediente e ainda vestindo seu uniforme, entrou em um apartamento e atirou contra quem achou ser um intruso, explicou a polícia.

Pouco depois do incidente, ligou para a emergência e disse que achava que havia entrado em sua própria casa. A vítima, um afro-americano identificado como Botham Shem Jean, de 26 anos, era originário da ilha caribenha de Santa Lúcia. 

Jean havia se formado em uma universidade cristã particular no estado de Arkansas em 2016 e, desde então, trabalhava na firma de contabilidade PricewaterhouseCoopers, em Dallas. A agente, de acordo com o Dallas Morning News, saiu do elevador no andar errado do prédio e se dirigiu para o apartamento logo abaixo do seu.

Ela então notou que a porta estava aberta, as luzes apagadas e então, na escuridão, viu uma figura em movimento. A agente abriu fogo pensando se tratar de um intruso, informou o jornal local.

De acordo com a polícia de Dallas, Guyger, de 30 anos, trabalha no departamento há quatro anos e, segundo a imprensa local, esteve envolvida em um tiroteio em maio de 2017. A chefe da polícia de Dallas, Renee Hall, entregou o caso aos Texas Rangers, divisão do Departamento de Segurança Pública.

Hall, também afro-americana, tornou-se a primeira chefe de polícia feminina da cidade em setembro de 2017.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade