Publicidade

Correio Braziliense

Ministra espanhola da Saúde renuncia após escândalo

Carmen Montón, ministra espanhola da Saúde, renunciou nesta terça-feira após a revelação de irregularidades na obtenção de um título universitário


postado em 11/09/2018 18:27

O caso de Montón é o último em uma série de escândalos protagonizados por políticos espanhóis, suspeitos de obter títulos universitários por meio de fraude ou troca de favores(foto: Divulgação/Twitter )
O caso de Montón é o último em uma série de escândalos protagonizados por políticos espanhóis, suspeitos de obter títulos universitários por meio de fraude ou troca de favores (foto: Divulgação/Twitter )
 
Madri, Espanha - Carmen Montón, ministra espanhola da Saúde, renunciou nesta terça-feira após a revelação de irregularidades na obtenção de um título universitário, e é a segunda queda do governo socialista de Pedro Sánchez em apenas três meses.

"Comuniquei ao presidente do governo minha renúncia como ministra da Saúde, Consumo e Bem-Estar Social", anunciou à imprensa.

O caso de Montón é o último em uma série de escândalos protagonizados por políticos espanhóis, suspeitos de obter títulos universitários por meio de fraude ou troca de favores. 

Entre eles, está o líder da oposição conservadora, Pablo Casado, que obteve um controverso mestrado na mesma universidade de Carmen Montón, a Rei Juan Carlos de Madri.

A controvérsia em torno de Casado parece ter influenciado a renúncia de Montón. Caso ela continuasse no cargo, o governo socialista, minoritário no Parlamento, teria se privado de "uma maneira de criticar a oposição, que era relevante", disse à AFP o analista político Pablo Simon.

A pressão cresceu ao longo do dia sobre a ministra, graduada em Medicina e com mestrado em Estudos de Gênero pela Universidade Rey Juan Carlos, obtido quando ela era deputada.

Depois de algumas primeiras revelações na segunda-feira, a publicação digital eldiario.es revelou nesta terça-feira que no final do curso, em junho de 2011, uma disciplina constava como "não apresentado", mas em novembro daquele ano, de repente, tornou-se um "aprovado". 

A universidade reconheceu que havia uma manipulação de notas, e disse que estava revisando o arquivo "disciplina por disciplina" para "determinar responsabilidades". 

A própria Montón admitiu a manipulação em uma entrevista à rádio Cadena SER, e se defendeu dizendo que isso "escapa de [seu] âmbito de responsabilidade". 

Montón até recebeu o apoio de Pedro Sánchez, que disse à imprensa que ela "está fazendo um trabalho extraordinário e continuará a fazê-lo".

Mas minutos depois a emissora La Sexta publicou um possível plágio em seu trabalho final do mestrado. 

A renúncia de Carmen Montón é a segunda no governo de Pedro Sánchez desde que ele chegou ao poder, no início de junho. 

A anterior foi do Ministro da Cultura, Maxim Huerta, que deixou o cargo apenas seis dias após ser empossado, quando foram reveladas irregularidades em sua declaração de imposto de renda.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade