Publicidade

Correio Braziliense

Trump responde às críticas sobre resposta ao furacão Maria em Porto Rico

O presidente norte-americano havia criticado Porto Rico na passagem do furação Maria, que deixou 2.975 mortos.


postado em 12/09/2018 11:01 / atualizado em 12/09/2018 12:28

(foto: ZACH GIBSON / AFP)
(foto: ZACH GIBSON / AFP)
 
Washington, Estados Unidos - O presidente americano, Donald Trump, respondeu nesta quarta-feira (12/9) as críticas sobre a gestão da passagem do furacão Maria por Porto Rico, depois que as autoridades da ilha questionaram duramente a resposta do governo ao desastre do ano passado, que deixou quase 3.000 mortos.

"Nós tivemos as notas máximas por nosso trabalho recente nos furacões do Texas e na Flórida (e fizemos um excelente trabalho que foi muito pouco reconhecido em Porto Rico, embora fosse uma ilha inacessível com eletricidade muito precária e uma prefeita totalmente incompetente em San Juan)", escreveu Donald Trump no Twitter. "Estamos prontos", afirmou em referência à chegada do furacão Florence, de categoria 4 na escala Saffir Simpson (até 5), que se aproxima da costa leste dos Estados Unidos.

Na terça-feira (11/9), o presidente americano celebrou o sucesso "incrível" da resposta de seu governo à emergência gerada pelo furacão Maria. "Acredito que em Porto Rico tivemos um sucesso incrível", disse Trump na Casa Branca durante uma reunião com equipes de emergência diante da ameaça do furacão Florence. 

Durante as semanas que se seguiram ao furacão de 20 de setembro de 2017, Trump foi diretamente criticado por sua falta de ação diante do desastre generalizado na ilha, que ficou sem telecomunicações por dias e sem energia elétrica em grande parte de seu território por meses. O governo de Porto Rico revisou há duas semanas o número de mortos na passagem do furacão Maria para 2.975 pessoas. 

O governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, questionou as declarações de Trump e lamentou que os habitantes da ilha não tenham os mesmos direitos dos americanos do continente. "Nenhuma relação entre uma colônia e o governo federal pode ser qualificada de bem-sucedida enquanto os porto-riquenhos carecem de certos direitos inalienáveis de que gozam nossos compatriotas nos Estados Unidos", afirmou Rosselló em um comunicado. 

"A relação histórica entre Porto Rico e Washington é injusta e antiamericana", completou o governador do estado livre associado aos Estados Unidos. Mais cedo, a prefeita de San Juan, Yulín Cruz, também havia protestado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade