Publicidade

Correio Braziliense

Mal-estar entre patrocinadores de CR7 por acusação de estupro

O jogador não vai disputar nenhuma partida com a seleção portuguesa nos próximos dois meses, mas tem o apoio da Juventus


postado em 05/10/2018 15:42

Acusado de estuprar uma ex-modelo em Las Vegas em 2009, o mal-estar aumentou em torno de Cristiano Ronaldo(foto: AFP)
Acusado de estuprar uma ex-modelo em Las Vegas em 2009, o mal-estar aumentou em torno de Cristiano Ronaldo (foto: AFP)
 
Turim, Itália - Acusado de estuprar uma ex-modelo em Las Vegas em 2009, o mal-estar aumentou em torno de Cristiano Ronaldo, cuja patrocinadora Nike se mostrou "profundamente preocupada" com o caso e a EA Sports, editora do videogame Fifa, falou em uma situação "problemática".

O jogador não vai disputar nenhuma partida com a seleção portuguesa nos próximos dois meses, mas tem o apoio da Juventus. No entanto, as ações da equipe caíram quase 10% no fechamento da Bolsa de Milão nesta sexta-feira.

A ação da Velha Senhora, que havia disparado desde a chegada a Turim do atacante português, fechou em queda de 9,92% a 1,19 euro, em um mercado em retrocesso de 1,29%.

Nesta sexta, o técnico Massilimiano Allegri relacionou o atacante para o duelo de sábado contra a Udinese. "Cristiano está bem. No que diz respeito a amanhã, está preparado para jogar", disse o comandante sobre CR7.

Referência da Nike

A Polícia de Las Vegas anunciou na segunda-feira a abertura de uma investigação por conta da ação apresentada por Kathryn Mayorga, hoje com 34 anos. Ela afirma que Cristiano Ronaldo a forçou a fazer sexo anal em junho de 2009.

As reações demoraram a chegar, mas os patrocinadores do cinco vezes vencedor da Bola de Ouro começaram a se posicionar. "Estamos profundamente preocupados pelas inquietantes acusações e seguiremos monitorando de perto a situação", explicou a Nike em comunicado transmitido à AFP na quinta-feira.

Segundo a revista Forbes, Ronaldo faz parte do seleto grupo de três atletas que têm contrato vitalício com a empresa de material esportivo, ao lado dos astro da NBA Michael Jordan e LeBron James.

Situação parecida aconteceu com a EA Sports, companhia responsável pelo jogo de videogame Fifa, cuja edição de 2018 tem Ronaldo como garoto propaganda.

"Seguimos a situação de perto, porque o que esperamos dos jogadores que estão nas capas de nossos produtos e são nossos embaixadores é que se comportem de acordo com os valores da EA", explicou a empresa americana em comunicado, no qual qualifica as acusações contra o português de "preocupantes".

As acusações de violação estão danificando a reputação de um dos atletas mais bem pagos do mundo. Ainda assim, Ronaldo recebeu apoio da atual equipe.

"Cristiano Ronaldo demonstrou nos últimos meses o seu grande profissionalismo e dedicação, algo que é apreciado por todos na Juventus", escreveu a Velha Senhora no Twitter na quinta-feira.

"Os fatos denunciados que remontam há pelo menos 10 anos não mudam esta opinião, compartilhada por todos aqueles que estiveram em contato com este grande campeão", acrescentou a atual heptacampeã consecutiva do Campeonato Italiano.

A mensagem provocou uma série de críticas ao clube, acusado de mostrar-se insensível com os fatos denunciados.

Fora da seleção

Na quarta-feira, Ronaldo se posicionou contra as acusações. "Nego terminantemente as acusações de que sou alvo. Considero o estupro um crime abjeto, contrário a tudo aquilo que sou e em que acredito", escreveu o atacante de 33 anos em sua conta na rede social Twitter.

"Não vou alimentar o espetáculo midiático montado por quem quer se promover às minhas custas. Minha consciência limpa me permitirá esperar com tranquilidade os resultados de todas e cada uma das investigações", continuou.

Horas depois, o capitão da seleção portuguesa não foi convocado para os jogos de outubro e novembro. O técnico Fernando Santos não explicou os motivos desta ausência.

"Considerei que o jogador não estará disponível para esta convocação nem para a próxima", explicou Santos, destacando que a decisão tinha sido tomada depois de uma conversa com o jogador e o presidente da Federação Portuguesa. Perguntado pelos motivos de não contar com o craque, Santos se negou a revelar os detalhes da conversa.

Contratado pela Juventus por 100 milhões de euros nesta temporada, o ex-jogador do Real Madrid já perdeu jogos da seleção em setembro. Na época, Santos deu a entender que tomou a decisão para facilitar a adaptação de Ronaldo na Serie A italiana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade