Publicidade

Correio Braziliense

EUA: senadores ameaçam resposta dura sobre desaparecimento de jornalista

Os senadores Marco Rubio e Jeff Flake, membros do Comitê de Relações Exteriores, disseram que o Congresso norte-americano está preparado para agir de forma rápida e firme


postado em 14/10/2018 19:52 / atualizado em 14/10/2018 19:52

Dois importantes senadores republicanos ameaçaram dura ação punitiva do Congresso contra a Arábia Saudita, incluindo uma possível paralisação de vendas militares, caso o jornalista Jamal Khashoggi tenha sido de fato morto dentro do consulado saudita em Istambul. Depois de a Arábia Saudita rejeitar qualquer ameaça de sanções econômicas ou pressão política e alertar que o reino irá responder a qualquer ação tomada, os senadores Marco Rubio e Jeff Flake, membros do Comitê de Relações Exteriores, disseram que o Congresso norte-americano está preparado para agir de forma rápida e firme se o presidente Donald Trump não responder adequadamente ao desaparecimento de Khashoggi, um colaborador do jornal norte-americano Washington Post.

Rubio (Partido Republicano, Flórida) disse que as relações entre os EUA e a Arábia Saudita podem precisar ser "completamente revisadas" e ressaltou que os EUA perderiam credibilidade em direitos humanos se a administração Trump permanecer em silêncio. Ele também pediu que o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, não vá a uma conferência nesta semana na Arábia Saudita. "Eu não acho que nenhuma das nossas autoridades do governo deveria ir e fingir que os negócios estão normais até sabermos o que aconteceu", disse Rubio.

Flake (Partido Republicano, Arizona) afirmou que, se os sauditas de fato mataram Khashoggi, o Congresso dos EUA poderia especificamente reduzir a ajuda militar do país às forças lideradas pela Arábia Saudita no Iêmen. A Arábia Saudita está liderando uma coalizão de Estados do Golfo em uma campanha militar contra os rebeldes Houthi, apoiados pelo Irã, no Iêmen. Os EUA fornecem armas, inteligência e apoio logístico para a campanha de bombardeio. "Eu acho que as vendas de armas serão afetadas. Certamente nosso envolvimento em Iêmen com a Arábia Saudita será afetado", disse Flake. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade