Publicidade

Correio Braziliense

UE e Reino Unido preveem acordo sobre Brexit em breve, mas não nesta semana

O Reino Unido deverá sair da UE oficialmente em 29 de março do próximo ano, mas é necessário que um acordo seja fechado nas próximas semanas para que os Parlamentos da UE e britânico tenham tempo hábil de ratificá-lo.


postado em 15/10/2018 07:47 / atualizado em 15/10/2018 08:21

(foto: Daniel LEAL-OLIVAS / AFP)
(foto: Daniel LEAL-OLIVAS / AFP)
 

Ministros de Relações Exteriores da União Europeia e do Reino Unido declararam nesta segunda-feira(15/10), em tom cauteloso, que os britânicos deverão fechar em breve um acordo para se retirarem do bloco, dentro do processo conhecido como "Brexit", mas praticamente descartaram a possibilidade de que um acerto seja alcançado na reunião de cúpula da UE marcada para esta semana.

Conversas sobre o Brexit foram interrompidas ontem, depois que os dois lados falharam em superar divergências relacionadas principalmente a como manter o fluxo de bens entre a Irlanda, que pertence à UE, e a Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido, depois que os britânicos deixarem o bloco.

O Reino Unido deverá sair da UE oficialmente em 29 de março do próximo ano, mas é necessário que um acordo seja fechado nas próximas semanas para que os Parlamentos da UE e britânico tenham tempo hábil de ratificá-lo.

Não há novas discussões previstas sobre o Brexit antes que os líderes da UE se reúnam para uma cúpula em Bruxelas, a partir de quarta-feira (17/10).

"Há uma ou duas questões pendentes muito difíceis, mas acho que conseguiremos chegar lá", afirmou o ministro de Relações Exteriores britânico, Jeremy Hunt, a repórteres em Luxemburgo, onde ocorre hoje uma reunião de chanceleres da UE.

Já o ministro irlandês de Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney, admitiu estar "frustrado" com o atraso, ressaltando que, além do Reino Unido, a Irlanda é o país que tem a mais a perder com o Brexit.

O chanceler espanhol, Josep Borrell, por sua vez, disse não acreditar que o Brexit será fechado nesta semana. Ele afirmou, no entanto, que as negociações prosseguirão e que é improvável que as partes não cheguem a um acordo. Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade