Publicidade

Correio Braziliense

Chanceler brasileiro reitera importância de negociações UE-Mercosul

Desde 2000, a União Europeia e o Mercosul negociam um acordo de associação, mas há divergência em pontos referentes à indústria automobilística e ao acesso aos mercados de produtos como a carne bovina, o açúcar e os produtos lácteos.


postado em 16/10/2018 09:15

 

Após reunião com os chanceleres de países do Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai), em Montevidéu, o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, tranquilizou nesta segudna-feira (15/10) a imprensa uruguaia, informando que as negociações entre o bloco e a União Europeia são de interesse do Brasil, independentemente do próximo presidente da República.

 

“Corresponde a interesses objetivos da economia e da sociedade brasileiram no sentido de nos tornarmos mais competitivos, mais integrados ao mundo. Não houve polêmicas em torno do tema Mercosul e União Europeia. Não foi algo conflitivo ao longo de uma campanha eleitoral”, disse o ministro.

 

Aloysio Nunes foi questionado por repórteres sobre a possibilidade de o futuro governo brasileiro mudar as orientações das negociações.

 

Desde 2000, a União Europeia e o Mercosul negociam um acordo de associação, mas há divergência em pontos referentes à indústria automobilística e ao acesso aos mercados de produtos como a carne bovina, o açúcar e os produtos lácteos.

 

O assunto foi o principal tema da reunião desta segunda-feira em Montevidéu. Sem dar detalhes sobre as negociações, o presidente pro tempore (temportário) do Mercosul, o ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, afirmou que as conversas avançam.

 

“É uma oportunidade muito boa para o Mercosul, mas também para a União Europeia. É uma oportunidade de multilateralismo”,afirmou Novoa. O ministro das Relações Exteriores da Argentina, Jorge Faurie, acrescentou que as negociações integram “um longo e intenso processo”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade