Publicidade

Correio Braziliense

Merkel e Macron vão a bar em Bruxelas, após cúpula sobre Brexit

Os três políticos chegaram a pé e juntos ao bar e restaurante Roy d'Espagne, um dos lugares mais emblemáticos da Grand Place.


postado em 18/10/2018 08:17

(foto: Reprodução/Repubblica.it)
(foto: Reprodução/Repubblica.it)
 
O presidente da França, Emmanuel Macron, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, foram na noite desta quarta-feira (17/10) a um bar no centro de Bruxelas, após a cúpula extraordinária do Conselho Europeu sobre o Brexit e foram vistos conversando animadamente.

Os três políticos chegaram a pé e juntos ao bar e restaurante Roy d'Espagne, um dos lugares mais emblemáticos da Grand Place – a praça mais famosa da cidade – e ficaram em uma mesa sob atentos olhares de curiosos e seguranças.

Na reunião do Conselho Europeu, Merkel, Macron e Michel e os demais participantes debateram os próximos passos das negociações entre o bloco europeu e o governo britânico para a saída do Reino Unido da União Europeia.

Esta não foi a primeira vez que chefes de Estado ou Governo aproveitaram horas livres na capital belga após um encontro do Conselho para comer e beber em estabelecimentos na rua. Em fevereiro de 2016, por exemplo, Merkel e o então presidente do Governo da Espanha Mariano Rajoy foram a um popular quiosque de venda de batatas fritas na praça Jourdan para matarem a fome. 

Pesquisa
Uma pesquisa da Comissão Europeia (CE) divulgada nesta quarta-feira apontou que 51% dos cidadãos britânicos votariam hoje a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) em um hipotético novo referendo sobre o Brexit.

Entre todos os países onde a pesquisa foi realizada, somente a República Tcheca (47%) e a Itália (44%) não registraram apoio majoritário à permanência na UE, mas somente 24% dos seus cidadãos votaria a favor da saída do bloco.

Perguntados sobre o quão positiva é a filiação de seu país à UE, a média dos Estados membros foi considerada satisfatória (62%), embora em países como Romênia, Áustria, Reino Unido, Grécia, Croácia, Itália e República Checa a percepção positiva não seja majoritária.

A Itália é o único membro que considera que não se beneficiou com sua filiação ao bloco, e apenas 43% dos entrevistados avaliaram a experiência comunitária como benéfica para o país.

Sobre o grau de satisfação com a democracia no seio da UE, 60% dos indagados estão satisfeitos com os padrões democráticos do bloco, exceto Grécia (64%), Espanha (54%) e Itália (52%).

Para a pesquisa foram realizadas 24.474 entrevistas com maiores de 15 anos nos 28 países da UE entre 8 e 26 de setembro.

*Com informações da EFE

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade