Publicidade

Correio Braziliense

'Força Espacial' de Trump será construída em etapas até 2020

A "Força Espacial" americana logo tomará forma, mas, terá uma estrutura menor do que a esperada pelo presidente Donald Trump


postado em 23/10/2018 17:57

O chefe da Força Aérea dos EUA declarou que a criação do novo braço de defesa custaria cerca de 13 bilhões de dólares em uma equipe de 13.000 pessoas nos primeiros cinco anos(foto: AFP)
O chefe da Força Aérea dos EUA declarou que a criação do novo braço de defesa custaria cerca de 13 bilhões de dólares em uma equipe de 13.000 pessoas nos primeiros cinco anos (foto: AFP)
 
Washington, Estados Unidos - A nova "Força Espacial" americana logo tomará forma, mas, inicialmente, terá uma estrutura menor do que a esperada pelo presidente Donald Trump quando a anunciou como o sexto braço das Forças Armadas do país, disse o vice-presidente Mike Pence nesta terça-feira (23).

A Casa Branca não prevê a criação de uma força independente antes de 2020, expressou Pence em uma conferência organizada pelo jornal Washington Post.

Pence, que lidera o Conselho Nacional do Espaço - um corpo governamental refundado no ano passado após décadas -, sustentou que, em breve, Trump poderia pedir ao Congresso para reunir militares e civis que trabalhem em segurança espacial em um comando unificado. 

"O Conselho Nacional do Espaço está fazendo recomendações ao presidente para começar estabelecendo um Comando Espacial unificado, em grande medida da mesma forma como estabelecemos um comando das Forças Especiais", afirmou Pence. 

"Começaremos colocando todos sob um comando unificado", disse, acrescentando que também gostaria de ter uma Agência de Desenvolvimento Espacial, encarregada das novas tecnologias.

Segundo Pence, 60.000 pessoas trabalham atualmente em segurança espacial nos Estados Unidos, nos serviços militares e de Inteligência.

Pence também adiantou que, no ano que vem, a administração trabalhará com o Congresso, que tem que aprovar a proposta, em uma lei que permita compor uma "Força Espacial" independente para 2020. 

O chefe da Força Aérea dos Estados Unidos declarou, em setembro, que a criação do novo braço de defesa custaria cerca de 13 bilhões de dólares em uma equipe de 13.000 pessoas nos primeiros cinco anos.

Segundo Pence, os Estados Unidos consideram que o Espaço é um campo de guerra, tal como a terra, o ar e a água, e aspira a ter uma presença dominante ali. "Como aqui na Terra", assinalou o vice-presidente.  

Entre as ameaças espaciais em potencial, ele mencionou armas antissatélite, lasers, mísseis hipersônicos e apontou Rússia e China como os adversários dos Estados Unidos no espaço.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade