Publicidade

Correio Braziliense

Tesouro do século XVIII é encontrado na Hungria graças a seca do Danúbio

O tesouro foi descoberto entre os restos de uma embarcação do século XVIII, cuja procedência ainda se desconhece


postado em 25/10/2018 14:52 / atualizado em 25/10/2018 15:02

Entre as moedas encontradas, há ducados e peniques antigos(foto: AFP)
Entre as moedas encontradas, há ducados e peniques antigos (foto: AFP)
 
Erd, Hungria - Um grupo de arqueólogos húngaros encontrou um tesouro com 2.000 moedas de ouro e prata entre os restos de um barco do século XVIII que foi descoberto graças ao nível excepcionalmente baixo do Danúbio, anunciou nesta quinta-feira a equipe de arqueólogos.

"Cerca de 2.000 moedas foram encontradas com armas, balas de canhão, espadas e outros tipos de sabres", explicou Katalin Kovacs, arqueóloga do Centro do Museu Ferenczy de Szentendre, perto da capital Budapeste, em declarações à agência da imprensa húngara MTI. 

A descoberta aconteceu nesta semana em Erd, ao sul de Budapeste, onde os arqueólogos trabalhavam nesta quinta-feira sem descanso para obter um maior número de objetos antes que o volume do rio volte a subir.

Como acontece com outros rios na Europa, o volume do Danúbio se reduziu de forma significativa após a longa seca nos últimos meses. Seu nível ficou, de acordo com os hidrômetros de Budapeste, em 38 centímetros, um recorde histórico que também afeta a navegação fluvial.

O tesouro foi descoberto entre os restos de uma embarcação cuja procedência ainda se desconhece, informou a equipe de arqueólogos.

Entre as moedas encontradas, há ducados e peniques antigos. "90% das moedas procedem de países estrangeiros e datariam de 1630 a 1743", assegurou o arqueólogo Balazs Nagy na emissora de rádio privada Klub. Ele informou que as moedas foram cunhadas na "Holanda, na França e em Zurique". Também participam nas tarefas arqueológicas uma equipe de submarinistas e drones. 

O nível especialmente baixo do Danúbio já permitiu que fossem descobertos restos da antiga ponte de Francisco José, destruída durante a Segunda Guerra Mundial, ou uma bomba americana neste mesmo conflito.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade