Publicidade

Correio Braziliense

Terremoto de magnitude 6,8 atinge a Grécia

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro ocorreu no mar, a 16km de profundidade. O abalo foi sentido também na Itália e na Albânia


postado em 25/10/2018 22:31 / atualizado em 25/10/2018 22:45

Aliz Koletas, 33 anos, repórter freelance do jornal The Nation Herald, acordou assustada à 1h54 desta sexta-feira (19h54 de quinta, em Brasília). "Eu pensei que alguém estivesse sacudindo a nossa cama. Meu marido estava acordado e sabíamos exatamente o que ocorria. Nós corremos pela casa até a parte de trás. A luminária da cozinha balançava para frente e para trás", contou ao Correio a moradora da cidade de Patra, na Grécia.

Um terremoto de 6,8 graus na escala Richter (aberta, raramente chega a 9) sacudiu a Ilha de Zakynthos, no Mar Jônico. De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro ocorreu no mar, a 16km de profundidade. O abalo foi sentido também na Itália e na Albânia. Até as 22h desta quinta-feira, não havia informações sobre vítimas.
 
 
 
O Observatório de Atenas realizou uma medição diferente e informou que foram vários tremores de magnitudes entre 4,9 graus e 6,4 graus. A imprensa local reportou o colapso da rede elétrica e alguns deslizamentos de terra. 
 
"Não temos eletricidade há mais de uma hora. Soube de alguns danos em prédios, mas por enquanto não escutei falarem sobre feridos ou mortos", disse à reportagem um morador de Zakynthos que não quis ser identificado. Ele revelou ter sentido um pequeno tremor e, como abalos são rotineiros na Grécia, não deu muita  importância.

"Alguns minutos depois, fui dormir e o terremoto começou. Eu fiquei tão aterrorizado que comecei a chorar e me refugiei sob a soleira da porta, caso as paredes caíssem. Quando a terra parou de tremer, fui até uma praça próxima e me senti seguro", relatou.  
 
Morador de Lefkada, a cerca de 100km de Zakynthos, George Betsas afirmou que o terremoto foi o mais longo que experimentou. "Foram  duas principais 'explosões' em dois minutos. Nunca tinha visto algo assim. Creio ter durado de 1 a 2 minutos, porque foram dois principais sismos, um seguido do outro", comentou. 
 
A Grécia, especialmente a parte oeste e o sul do Peloponeso, está localizada em falhas tectônicas importantes, e costuma ser afetada por terremotos, que geralmente não causam vítimas. Em julho de 2017, no entanto, um terremoto de 6,7 graus de magnitude matou duas pessoas na ilha de Kos, no Mar Egeu (sudeste) e provocou importantes danos. Em setembro de 1986, um terremoto de 6,2 de magnitude, ocorrido em Kalamata, capital de Mesenia, causou 20 mortos e o desabamento de muitas casas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade