Publicidade

Correio Braziliense

Japão: Princesa Ayako se casa como plebeu e abre mão da realeza

Como a decisão de se casar como o plebeu Kei Moriya, a princesa se torna a terceira a renunciar aos direitos da realeza desde o início do Milênio


postado em 30/10/2018 08:32 / atualizado em 30/10/2018 10:08

(foto: TORU HANAI / POOL / AFP)
(foto: TORU HANAI / POOL / AFP)
 
A princesa Ayako de Takamado, da família real japonesa, se casou como um plebeu no santuário de Meji Jungu nesta segunda-feira (29/10) e de acordo com o estatuto imperal terá que renunciar ao título. Em compensação, Ayako deve receber uma quantia de R$ 3,5 milhões por abrir mão de seus privilégios. A cerimônia que incluiu rituais sagrados e celebrações de agradecimento ao Imperador Akihito durou cinco dias.

Como a decisão de se casar como o plebeu Kei Moriya, a princesa se torna a terceira a renunciar aos direitos da realeza desde o início do Milênio. O número porém deve crescer, pois Mako, a neta do imperador anunciou o casamento com um plebeu em setembro e a cerimônia já está em fase de preparação. Apesar da tendência de saída das mulheres da família real, não há evidências de mudanças no estatuto imperial.
 
 
No Japão, as mulheres reais não podem ascender ao trono, ficando com os primogênitos masculinos o dever de governar. O atual Imperador Akihito, 84 anos, deve terminar o processo de abdicação do trono em favor do filho mais velho, Naruhito em 30 de abril. 
  
Ayako é filha do falecido príncipe de Takamado, primo do imperador Akihito e é assintente social.
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade