Publicidade

Correio Braziliense

Chuva, ventos e neve atingem a Europa; onze mortos na Itália

Uma onda de mau tempo atingiu vários países europeus, incluindo a Itália, onde 11 pessoas morreram


postado em 30/10/2018 15:23

Chuvas fortes acompanhadas por ventos de até 180 km/h em algumas áreas da Itália também resultaram em graves perturbações no tráfego(foto: AFP)
Chuvas fortes acompanhadas por ventos de até 180 km/h em algumas áreas da Itália também resultaram em graves perturbações no tráfego (foto: AFP)
 
Roma, Itália - Uma onda de mau tempo atingiu vários países europeus, incluindo a Itália, onde 11 pessoas morreram, enquanto dezenas de milhares de casas no continente ficaram sem energia nesta terça-feira.

Na Itália, além de cinco vítimas registradas na segunda-feira, um homem morreu em Veneto (nordeste) pela queda de uma árvore, bem como um bombeiro no sul do Tirol (norte). Uma mulher foi vítima de um deslizamento de terra e pedras em sua casa no norte de Trentino, enquanto outro homem faleceu enquanto praticava kitesurf perto de Cattolica, na costa do Adriático.

O corpo de um homem também foi recuperado na terça-feira no Lago Levico, no norte, segundo os bombeiros, e o corpo de outro homem foi encontrado à tarde em um riacho, também no norte do país. 

Um homem segue desaparecido na Calábria, depois que seu barco foi encontrado na segunda-feira. Um corpo foi visto no mar, mas não pôde ser recuperado devido à tempestade.

De acordo com a imprensa italiana, cerca de 170 turistas e funcionários de hoteis estão presos no Col du Stelvio (norte), na fronteira entre a Itália e a Suíça, a mais de 2.700 metros acima do nível do mar, devido a uma forte nevasca.

Em Friuli (nordeste), 18.500 pessoas estão sem eletricidade e muitas estradas estão intransitáveis, de acordo com as autoridades locais.

Chuvas fortes acompanhadas por ventos de até 180 km/h em algumas áreas da Itália também resultaram em graves perturbações no tráfego. 

Em Gênova, o aeroporto só reabriu por volta das 16h00 GMT (13h00 no horário de Brasília), enquanto as escolas da cidade estarão fechadas o dia todo, assim como em Roma e em muitos outros municípios italianos.

Essa onda de mau tempo causou na segunda-feira um nível histórico de "acqua alta" (água alta) em Veneza, com um pico de 1,56 metro, causando o fechamento da Praça de São Marcos.

Duas pinturas de Joan Miró também acabaram encharcadas por essa inundação excepcional.

Os países vizinhos da Itália também são afetados.

Na Áustria, parte do telhado da fortaleza medieval que domina Salzburgo foi arrancado durante esta madrugada devido a ventos superiores a 100 km/h.

Mais ao sul, a Defesa Civil pediu que os cerca de 500 moradores de Muhr não deixassem suas casas e se abrigassem nos andares superiores, em razão do transbordamento de um rio.

O mesmo alerta foi lançado em um vale perto da fronteira italiana, onde as barragens ameaçavam ceder sob a pressão da água.

"Em várias décadas, nunca vi isso", disse Martin Guggenberger, comandante do corpo de bombeiros de uma comuna deste setor, onde muitas estradas pequenas estão bloqueadas e cerca de 10 mil residências não têm eletricidade.

Na Eslovênia, país em "alerta vermelho" desde segunda-feira, uma pessoa que praticava windsurfer está desaparecida, enquanto na Croácia, a cidade portuária de Rijeka foi inundada e muitas conexões de balsas foram interrompidas.

No cantão suíço de Ticino, muitas estradas estão intransitáveis, inundadas ou bloqueadas pela queda de árvores.

Na França, onde 110.000 residências ficaram sem eletricidade nesta terça-feira à tarde, a neve que caiu no centro do país bloqueou mais de 2.000 veículos no Maciço Central.

Na Córsega, as autoridades estão avaliando os danos causados %u200B%u200Bpor rajadas de vento a 160 km/h.

Na Espanha, a queda de neve nas Astúrias (norte) causou problemas para tráfego, com 4.700 residências sem eletricidade, de acordo com as autoridades.

Na República Tcheca, o tráfego ferroviário foi interrompido esta manhã como resultado dos fortes ventos que causaram muitas quedas de árvores nas ferrovias e cerca de 30 mil pessoas estão sem eletricidade, segundo a estatal de eletricidade CEZ.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade