Publicidade

Correio Braziliense

Jogador do Crystal Palace é vítima de insultos racistas e ameaças de morte

Wilfried Zaha se disse vítima de racismo e afirmou ter recebido ameaças de morte após sofrer um pênalti no domingo na partida contra o Arsenal


postado em 30/10/2018 18:26

Em julho de 2017, o atacante também afirmou que torcedores do Manchester United e do Liverpool o chamaram de
Em julho de 2017, o atacante também afirmou que torcedores do Manchester United e do Liverpool o chamaram de "macaco preto" (foto: AFP)
O atacante marfinense do Crystal Palace Wilfried Zaha se disse vítima de racismo e afirmou ter recebido ameaças de morte após sofrer um pênalti no domingo na partida contra o Arsenal (2-2), pelo Campeonato Inglês. O pênalti sofrido por Zaha, 25 anos, contra o Arsenal foi convertido por Luka Milivojevic, empatando a partida nos minutos finais do duelo. Embora o defensor do Arsenal envolvido no lance, Granit Xhaka, ter afirmado tratar-se de "um pênalti claro", diversos torcedores do clube londrino não aceitaram essa afirmação, como explicou o atacante marfinense nas redes sociais. "Para todos que estão indo longe demais, sendo racistas e ameaçando de morte minha família, eu desejo a vocês e suas famílias o melhor. Beijos. PS: minha vida continua muito boa apesar de seu ódio", afirmou no Instagram. Esta não foi a primeira vez que Zaha reclama de ataques racistas. Em julho de 2017, o atacante afirmou, também pelo Instagram, que torcedores do Manchester United e do Liverpool o chamaram de "macaco preto".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade