Publicidade

Correio Braziliense

Território francês vota contra independência em plebiscito

A Nova Caledônia recebe cerca de 1,3 bilhão de euros ao ano em subsídios da França


postado em 04/11/2018 13:16 / atualizado em 04/11/2018 13:15

A maioria dos habitantes da Nova Caledônia que votaram neste domingo (4/11) em um plebiscito sobre independência decidiu permanecer como parte da França, disse o presidente francês, Emmanuel Mácron. Em mensagem televisionada, Mácron disse que "não há outro caminho a não ser aquele do diálogo" para o futuro do arquipélago do Pacífico Sul.

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, vai se reunir com autoridades na Nova Caledônia para discutir planos futuros. O plebiscito resultou de um processo iniciado há 30 anos para acabar com anos de violência entre apoiadores e opositores da independência. No total, 174 mil pessoas se registraram para votar.

O arquipélago foi anexado pela França em 1853, mas o povo nativo da região, Kanak, sofreu forte discriminação durante o regime colonial. A Nova Caledônia recebe cerca de 1,3 bilhão de euros ao ano em subsídios da França, e muitos temem que a economia seja prejudicada em caso de independência. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade