Publicidade

Correio Braziliense

Trump exalta economia e pede comparecimento às urnas em comício no Tennessee

A crítica aos democratas foi a tônica de todo o discurso, em que o presidente incentivou o comparecimento às urnas na eleição que chamou de "uma das mais importantes de todos os tempos"


postado em 05/11/2018 08:27 / atualizado em 05/11/2018 08:04

(foto: ALEX WONG / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)
(foto: ALEX WONG / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, exaltou, na noite deste domingo (4/11) os resultados recentes da economia americana. Durante comício em Chattanooga, Tennessee, em favor da candidata republicana ao Senado Marsha Blackburn, Trump enalteceu sua política comercial com a China e o acordo firmado com México e Canadá. "Nós criamos um total de 4,5 milhões de novos empregos desde a eleição. E a taxa de desemprego caiu para o menor nível em 50 anos", disse. "Estamos quebrando recordes da nossa história", completou.


A crítica aos democratas foi a tônica de todo o discurso, em que o presidente incentivou o comparecimento às urnas na eleição que chamou de "uma das mais importantes de todos os tempos" - na terça-feira, 6, os americanos vão renovar todos os 435 assentos da Câmara dos Deputados e 35 das 100 cadeiras do Senado, além de escolher os governadores de 39 Estados. "Vamos decidir se vamos continuar na prosperidade ou se vamos permitir que os radicais democratas tomem conta do Congresso e destruam nosso futuro", afirmou. "Quando forem votar, vocês terão que decidir se querem manter esse boom da economia e suas famílias e comunidades seguras ou não."

Aludindo às caravanas de migrantes que atravessam a América Central com destino à fronteira americana, o presidente dos EUA afirmou que os democratas apoiam a "invasão do país". "Se vocês querem mais caravanas e mais crimes, votem pelos democratas. Se vocês querem menos caravanas e comunidades seguras, votem pelos republicanos." Ele ainda advertiu mais uma vez aos migrantes que eles não vão entrar no país. "Voltem agora, porque vocês não vão entrar."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade