Publicidade

Correio Braziliense

UE diz que esforços continuam, mas acordo do Brexit ainda não foi alcançado

O Reino Unido deixará a UE no dia 29 de março, mas um acordo deve ser selado nas próximas semanas para deixar tempo suficiente para o Parlamento londrino e o Parlamento Europeu validarem o acordo


postado em 12/11/2018 10:08 / atualizado em 12/11/2018 10:44

O britânico Martin Callanan (R), ministro de Estado do Departamento de Saída da União Européia, conversa com seu assessor durante um Conselho de Assuntos Gerais no Conselho Europeu em Bruxelas. Ministros dos outros 27 países membros informado pelo principal negociador da UE, Michel Barnier, com o tempo a esgotar-se antes da retirada da Grã-Bretanha(foto: AFP)
O britânico Martin Callanan (R), ministro de Estado do Departamento de Saída da União Européia, conversa com seu assessor durante um Conselho de Assuntos Gerais no Conselho Europeu em Bruxelas. Ministros dos outros 27 países membros informado pelo principal negociador da UE, Michel Barnier, com o tempo a esgotar-se antes da retirada da Grã-Bretanha (foto: AFP)
 

Parceiros da União Europeia (UE) no Reino Unido aumentaram nesta segunda-feira a pressão política sobre a primeira-ministra Theresa May em meio a sinais de que alguns progressos estão sendo feito nas negociações do Brexit.

Em uma reunião de ministros de Assuntos Europeus em Bruxelas hoje, o principal negociado do bloco para o Brexit, Michel Barnier, "explicou que intensos esforços de negociação continuam, mas um acordo ainda não foi alcançado". "Algumas questões-chave permanecem em discussão", disse ele.

O Reino Unido deixará a UE no dia 29 de março, mas um acordo deve ser selado nas próximas semanas para deixar tempo suficiente para o Parlamento londrino e o Parlamento Europeu validarem o acordo.

O principal obstáculo a um acordo é como manter as mercadorias fluindo sem problemas na fronteira entre a Irlanda, que faz parte da UE, e a Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido.

Todas as partes se comprometeram a evitar uma "fronteira dura" que dificultaria os negócios. Quaisquer novos postos aduaneiros na fronteira também pode reacender tensões sectárias prolongadas. "A bola está no tribunal britânico. É uma questão política britânica", disse a ministra de Assuntos Europeus da França, Nathalie Loiseau.

O ministro das Relações Exteriores belga, Didier Reynders, concordou, dizendo que a UE está "esperando por novas notícias de Londres". Fonte: Associated Press

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade