Publicidade

Correio Braziliense

Governo francês anuncia medidas para famílias carentes

O governo francês anunciou medidas para ajudar as famílias mais pobres, mas manteve o imposto sobre o combustível


postado em 14/11/2018 15:59

O novo imposto começará a ser aplicado em 1º de janeiro de 2019 e envolverá um aumento de 6,5 centavos de euro por litro de gasóleo e 2,9 centavos por litro de gasolina(foto: AFP)
O novo imposto começará a ser aplicado em 1º de janeiro de 2019 e envolverá um aumento de 6,5 centavos de euro por litro de gasóleo e 2,9 centavos por litro de gasolina (foto: AFP)

Paris, França - O governo francês anunciou nesta quarta-feira medidas para ajudar as famílias mais pobres a cobrir os gastos com energia, mas manteve o imposto sobre o combustível que desencadeou um movimento de protesto no país e culminou em uma manifestação no sábado.

"Nós não vamos anular o imposto sobre as emissões de carbono, não vamos mudar de curso, não vamos desistir de fazer frente ao desafio" da mudança climática, disse o primeiro-ministro Édouard Philippe em declarações à rádio RTL.

O novo imposto começará a ser aplicado em 1º de janeiro de 2019 e envolverá um aumento de 6,5 centavos de euro por litro de gasóleo e 2,9 centavos por litro de gasolina. 

Diante disso, uma manifestação foi convocada neste sábado em todo o país para fechar estradas e rodovias e protestar contra novos impostos.

Esse movimento popular heterogêneo ganhou forma nas últimas semanas e, embora a princípio seja apolítico, recebeu hoje o apoio do partido conservador Os Republicanos (LR) e da extrema direita Rassemblement National (RN). 

Laurent Wauquiez, o líder dos republicanos, que se manifestará no sábado na região de Haute-Loire (centro), disse na quarta-feira que o governo "não ouviu os franceses". 

"Há apenas uma solução, acabar com o aumento de impostos. Todo o resto são medidas pequenas que não estão à altura da tarefa", disse. 

Já o governo não quer renunciar ao imposto, mas anunciou medidas para ajudar as famílias. "Entendemos a necessidade expressa pelos franceses para receber ajuda nesta transição, porque é difícil", disse o primeiro-ministro Philippe e anunciou a extensão dos subsídios para cobrir os custos de eletricidade e gás, que agora atingirão um total de 5,6 milhões de lares.

O governo também anunciou um bônus de até 4.000 euros para incentivar 20% das famílias mais modestas a trocar de carro e comprar uma versão menos poluente. Até agora, o bônus era de até 2.500 euros para trocar o carro antigo. 

O governo também está estudando outras medidas, incluindo cortes de impostos, para incentivar a substituição de caldeiras em residências que usam aquecimento de óleo combustível. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade