Publicidade

Correio Braziliense

Plano de paz de Trump é 'uma perda de tempo', diz ministra israelense

"O abismo entre israelenses e palestinos é muito grande como para ser solucionado" por esse plano, declarou a ministra de Justiça, Ayelet Shaked


postado em 21/11/2018 19:05

(foto: AFP)
(foto: AFP)
 
Jerusalém, Undefined - O plano do presidente americano, Donald Trump, para a paz entre israelense e palestinos, esperado há meses, é uma "perda de tempo", declarou nesta quarta-feira (21) uma ministra israelense.

"O abismo entre israelenses e palestinos é muito grande como para ser solucionado" por esse plano, declarou a ministra de Justiça, Ayelet Shaked, em um colóquio organizado em Jerusalém pelo jornal inglês Jerusalem Post.

"Penso pessoalmente que é uma perda de tempo", assegurou uma resposta a uma pergunta sobre a iniciativa de paz da administração Trump.

"Sou apenas mais realista e sei que atualmente não há futuro para esses projetos, mas esperamos ver o que os Estados Unidos proporá", acrescentou.

Trump informou no final de setembro que o plano poderia ser apresentado em "dois, três ou quatro meses". Expressou também pela primeira vez, sem se comprometer, uma preferência para a solução com dois Estados, com a criação do Estado palestino.

Shaked assim como outros membros do partido nacionalista religioso Hogar Judío, aliado-chave da coalizão do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu se opõem à solução política com dois Estados para resolver o conflito israelense-palestino.

A diplomacia palestina congelou os contatos com a administração Trump, que acusa de ter uma posição exageradamente pró-israelense.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, considera que o reconhecimento por Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel - anunciado em dezembro de 2017 -, o fechamento do escritório da Organização para a Libertação de Palestina (OLP) em Washington e o fim da ajuda americana aos refugiados palestinos "põem dificuldade a causa palestina e constituem uma violação do direito internacional".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade