Publicidade

Correio Braziliense

Acusada de racismo, Dolce & Gabbana pede desculpas aos chineses

Stefano Gabbana e Domenico Dolce pediram perdão nesta sexta-feira "aos chineses do mundo inteiro" após publicação de vídeos e comentários considerados racistas


postado em 23/11/2018 18:53

(foto: AFP)
(foto: AFP)
 
Pequim, China - Stefano Gabbana e Domenico Dolce, cofundadores da marca italiana Dolce & Gabbana, pediram perdão nesta sexta-feira "aos chineses do mundo inteiro" após deixá-los indignados com a publicação de vídeos e comentários considerados racistas.

"Desejamos dizer a todos os chineses do mundo, e há muitos, o quanto sentimos. E levamos esta desculpa e esta mensagem muito a sério", afirma Stefano Gabbana em um vídeo divulgado nesta sexta na rede social chinesa Weibo.

Do seu lado, Domenico Dolce acrescenta que "refletiram muito sobre a polêmica". "Nossas famílias sempre nos ensinaram a respeitar as diferentes culturas (...). Pedimos seu perdão se cometemos erros na interpretação da sua", diz.

A marca italiana provocou indignação nos chineses com a publicação em sua conta de Instagram de vídeos de promoção de um desfile previsto para esta semana em Xangai nos quais se via uma mulher asiática tentar comer pizza e espaguete com palitos sob as ordens de uma voz masculina.

O caso piorou após a difusão na internet de capturas de tela de uma discussão no Instagram entre um usuário e Gabbana, na qual este último usa emojis de excrementos para definir a China como "país de merda". 

A empresa garantiu que a conta de Stefano Gabbana tinha sido hackeada e afirmou que tinha muito respeito pela China.

O escândalo levou ao cancelamento do desfile. 

Segundo a imprensa chinesa, várias empresas locais de vendas on-line retiraram todos os produtos da marca italiana, e muitos consumidores anunciaram que iam boicotá-la.

"Aprenderemos as lições desta experiência e, obviamente, isto não voltará a ocorrer", afirmou Gabbana no vídeo, que termina com os dois estilistas dizendo "perdão" em mandarim.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade