Publicidade

Correio Braziliense

Espanha pede ao Brasil extradição de condenado por atentado em 1977

A Procuradoria espanhola pediu a extradição de um dos autores de um atentado contra advogados comunistas em Madri em 1977


postado em 10/12/2018 14:41

Carlos García Juliá foi condenado em 1980 pela morte de cinco pessoas(foto: Reprodução/Twitter)
Carlos García Juliá foi condenado em 1980 pela morte de cinco pessoas (foto: Reprodução/Twitter)
 
Madri, Espanha - A Procuradoria espanhola pediu nesta segunda-feira (10) a extradição de um dos autores de um atentado contra advogados comunistas em Madri em 1977, preso em 5 de dezembro no Brasil.

Em um documento divulgado nesta segunda-feira, a procuradora da Audiência Nacional, com sede em Madri, solicitou a extradição para a Espanha de Carlos García Juliá, condenado em 1980 pela morte de cinco pessoas. Este pedido deve ser validado pelo tribunal e depois pelo governo espanhol.

O atentado em questão ocorreu em 24 de janeiro de 1977, quando militantes de extrema direita assassinaram quatro advogados comunistas e um funcionário do escritório de advocacia.

O "massacre de Atocha", em referência à rua Atocha, causou comoção na Espanha, que estava em plena transição para a democracia. Os fatos pesaram na decisão de legalizar o Partido Comunista alguns meses depois.

Carlos García Juliá foi autorizado em 1991 a cumprir o resto de sua sentença em liberdade condicional e depois viajar para o Paraguai, onde fugiu e iniciou uma viagem pela América do Sul.

Preso em 5 de dezembro, segundo a imprensa espanhola, ele ganhava a vida como motorista de um VLT em São Paulo sob uma falsa identidade. Ele ainda deve cumprir dez anos de prisão na Espanha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade