Publicidade

Correio Braziliense

Primeiro-ministro de Sri Lanka renuncia e acaba com crise política

A nomeação de Rajapakse provocou um verdadeiro caos político no país


postado em 15/12/2018 11:15

(foto: AFP / LAKRUWAN WANNIARACHCHI)
(foto: AFP / LAKRUWAN WANNIARACHCHI)

Colombo - A crise política no Sri Lanka parece ter chegado ao fim neste sábado (15/12), com a renúncia de Mahinda Rajapakse como primeiro-ministro, cuja polêmica nomeação provocou uma luta pelo poder e paralisou o país durante sete semanas.

Rajapakse, que também foi presidente entre 2005 e 2015 e muito criticado por organizações de direitos humanos, realizou uma cerimônia religiosa em sua casa durante a qual assinou uma carta oficializando sua renúncia.

O ex-chefe de Estado não fez declarações à imprensa, mas assessores disseram que devolveria a frota de limousines utilizada desde 26 de outubro, quando foi nomeado pelo presidente Maithripala Sirisena para substituir Ranil Wickremesinghe.

A nomeação de Rajapakse provocou um verdadeiro caos político no país, e Wickremesinghe se recusou a deixar o cargo, denunciando que sua saída era inconstitucional.

O vácuo de poder ameaçou bloquear o orçamento para o próximo ano, uma possibilidade que levou o presidente Sirisena a confiar novamente o governo a Wickremesinghe, apesar de suas diferenças políticas.

"Se o conflito continuasse, terminaríamos o ano sem um orçamento para 2019, e o governo não poderia continuar trabalhando", explicou Yapa Abeywardena, parlamentar do partido presidencial.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade