Publicidade

Correio Braziliense

Trump ordena ao Pentágono criação de comando militar espacial

Este novo comando surge como um passo até a implantação da nova organização que Trump quer criar no Exército americano: a Força do Espaço


postado em 18/12/2018 19:20

 
Washington, Estados Unidos - Donald Trump ordenou nesta terça-feira (18) a criação de um comando militar americano espacial para assegurar nesse novo cenário de combate à supremacia dos Estados Unidos, ameaçada por China e Rússia.

"Ordeno o estabelecimento, de acordo com a lei americana, do Comando Espacial dos Estados Unidos, como um Comando Combatente Unificado operacional", indicou o presidente americano em um memorando dirigido ao secretário do Departamento de Defesa, Jim Mattis, e publicado pela Casa Branca. 

Este novo comando surge como um passo até a implantação da nova organização que Trump quer criar no Exército americano: a Força do Espaço.

O presidente também ordenou ao Pentágono que recomende o nome de um oficial de alto escalão para supervisionar este novo "Comando Militar Espacial" encarregado de supervisionar todas as atividades militares espaciais do país, indicação esta que terá que ser confirmada pelo Congresso.

Em um discurso feito no Kennedy Space Center, na Flórida, o vice-presidente Mike Pence assinalou que o novo comando, que será conhecido como Spacecom, será o 11º comando militar do Pentágono. 

A nova estrutura terá funções operacionais como os comandos da Europa (Eucom) ou da África (Africom), e funcional como o comando estratégico (Stratcom), responsável pela defesa estratégica americana.

"Desenvolverá uma doutrina espacial, táticas, técnicas e procedimentos que permitirão aos nossos combatentes defender a nossa nação neste novo âmbito", acrescentou.

O vice-presidente lembrou que os Estados Unidos estão enfrentando atualmente a competição estratégica da Rússia e da China, que desenvolveram suas capacidades tecnológicas, especialmente no Espaço.

"A verdade é que, durante anos, os países estrangeiros desenvolveram armas eletrônicas para interferir e desativar os satélites", declarou. "A China testou mísseis destinados a destruir satélites. China e Rússia estão tentando posicionar novas armas no Espaço".

GPS de terceira geração

Pence falou diante dos militares na base de Cabo Canaveral, de onde decolaram os míticos foguetes do programa especial americano Apollo.

O vice-presidente deverá participar do lançamento do primeiro dos 10 satélites de geolocalização encomendados pela Força Aérea americana para criar a futura rede GPS (Global Positioning System: sistema de posicionamento global) de terceira geração.

O lançamento foi adiado até quarta-feira, pois uma anomalia foi identificada nos captores, segundo indicou a sociedade SpaceX, empresa espacial de Elon Musk que deve lançá-lo. 

A nova geração de GPS, um sistema usado principalmente nos transporte e na agricultura, será "três vezes mais preciso e suas capacidades anti-interferência serão até oito vezes superiores", detalhou a SpaceX. 

Trump já havia anunciado em junho que queria criar uma "Força Espacial", que seria o sexto braço das Forças Armadas americanas, junto com o Exército, a Marinha, a Força Aérea, o Corpo de Fuzileiros Navais e a Guarda Costeira. 

O presidente estima que esta nova força é indispensável para garantir a supremacia militar dos Estados Unidos no Espaço, mas Mattis fez saber que acreditava que a criação desta força era cara e inútil, e que corria o risco de chocar com a oposição do Congresso, que tem que aprovar seu financiamento. 

"Nos próximos dias, o presidente Trump assinará uma nova diretiva de política espacial que detalhará nossos planos e nosso calendário para criar o novo sexto braço das Forças Armadas", indicou Pence. 

"Trabalhamos com os dirigentes dos dois partidos do Congresso para lançar a nova força espacial dos Estados Unidos antes do final de 2020", acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade