Publicidade

Correio Braziliense

Premiê da Bélgica renuncia ao cargo em meio a debate sobre questão migratória

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, anunciou nesta terça-feira (18) sua renúncia na Câmara dos Deputados


postado em 18/12/2018 19:16 / atualizado em 18/12/2018 20:05

Desde 9 de dezembro, Michel era o líder de um governo que ficou privado da maioria na Câmara dos Deputados(foto: AFP)
Desde 9 de dezembro, Michel era o líder de um governo que ficou privado da maioria na Câmara dos Deputados (foto: AFP)
 

O primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, apresentou um pedido de renúncia na noite desta terça-feira em meio a pressões sobre seu governo depois que o maior partido da coalizão saiu do grupo por Michel apoiar o pacto global da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre imigração. O líder belga disse aos legisladores que "estou tomando a decisão da oferecer minha renúncia. Agora vou ver o rei para informá-lo".


Os legisladores vinham exigindo que Michel submetesse seu novo governo minoritário a um voto de confiança, mas o primeiro-ministro havia recusado essa ação até o momento e um confronto parecia provável esta semana. Em meio a pedidos de algumas pessoas na Assembleia para a antecipação das eleições, Michel novamente recusou, dizendo que isso apenas levaria à "estagnação em todo o ano de 2019". A próxima eleição na Bélgica está prevista para ocorrer em maio.

Ao som de aplausos de alguns legisladores belgas, Michel apertou as mãos de diversos ministros do governo após renunciar ao cargo e saiu da Assembleia legislativa. O partido de direita N-VA, que deixou o governo depois que Michel pediu a aprovação parlamentar para apoiar o pacto global da ONU - o que vai na direção contrária à posição da sigla -, fez com que a administração de Michel ficasse conhecida como "a coalizão de Marrakech", em alusão à cidade onde o pacto global da ONU sobre migração foi assinado há alguns dias. Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade