Publicidade

Correio Braziliense

Guitarrista do Queen Brian May lança tributo a espaçonave da Nasa

Um cientista da Nasa envolvido com a missão pediu ao lendário guitarrista britânico para contribuir com uma música a ser tocada enquanto o sobrevoo é realizado


postado em 19/12/2018 16:52 / atualizado em 19/12/2018 17:32

(foto: AFP)
(foto: AFP)
Washington, Estados Unidos -
Música e astrofísica andam de mãos dadas para o guitarrista do Queen Brian May, que anunciou nesta quarta-feira (19)que fará um tributo musical a uma nave espacial da Nasa que está prestes a entrar para a história.

A nave New Horizon, da agência espacial americana, fará em breve o sobrevoo mais distante de um objeto cósmico que já existiu, o chamado Ultima Thule, que está a 1,6 bilhão de quilômetros além de Plutão, em 1º de janeiro.

Um cientista da Nasa envolvido com a missão pediu ao lendário guitarrista britânico por trás de "Bohemian Rhapsody" - e que também tem doutorado em astrofísica - para contribuir com uma música para ser tocada enquanto o sobrevoo é realizado.

E May, de 71 anos, concordou. A faixa "New Horizons" (Ultima Thule mix), que será lançada no dia de Ano Novo, é seu primeiro single solo desde 1998. 

"Para mim tem sido um desafio emocionante trazer dois lados da minha vida juntos - astronomia e música", disse May em um comunicado. 

"Fui inspirado pela ideia de que isto será o mais distante que a Mão do Homem já alcançou - e com certeza será o objeto mais distante que já vimos de perto, através das imagens que a espaçonave transmitirá à Terra", acrescentou.

"Para mim isso simboliza o desejo incessante do espírito humano de entender o Universo que habitamos".

Partes do som da guitarra, sobrepostas pela voz do falecido cientista Stephen Hawking, já estão disponíveis no site www.brianmay.com. Um terceiro trecho é esperado nos próximos dias.

Os cientistas ainda não têm uma imagem clara do que é exatamente o Ultima Thule, um único objeto ou um aglomerado, com cerca de 30 km de diâmetro.

Mas quando a New Horizon passar, deve capturar imagens com uma resolução de 30 a 70 metros por pixel. 

A New Horizon completou um sobrevoo bem-sucedido de Plutão há três anos e mostrou imagens impressionantes do planeta-anão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade