Publicidade

Correio Braziliense

EUA: 690 clérigos acusados de estuprar crianças foram ocultados pela Igreja

Procuradora de Illinois (EUA) revela que autoridades de seis dioceses omitiram a real dimensão do escândalo de crimes sexuais envolvendo padres e religiosos. Vítimas de sacerdotes falam ao Correio e reagem com indignação


postado em 20/12/2018 08:34

(foto: Scott Olson/Getty Images/AFP )
(foto: Scott Olson/Getty Images/AFP )


Vítimas de pedofilia na Igreja Católica reagiram com surpresa e indignação à revelação de um escândalo que promete abalar os pilares do Vaticano. A procuradora-geral de Illinois (Estados Unidos), Lisa Madigan, anunciou, na noite de ontem, que 690 membros do clero foram acusados de abusar sexualmente de crianças em seis dioceses do estado. Os números indicam que a Igreja ocultou ou ignorou a real dimensão do caso, ao reconhecer a culpa de 185 clérigos. “Isso é um escândalo que vai agitar o mundo e transformar o modo como a sociedade vê o papel da religião”, afirmou ao Correio Shaun Dougherty, empresário de 48 anos que foi abusado dos 10 aos 13 pelo padre George Koharchik, em Johnstown (Pensilvânia). “É uma confirmação gritante de que a Igreja não é confiável para se policiar quando se trata de agressão sexual infantil. Nós devemos tomar medidas imediatas para remediar nossas leis, a fim de protegermos melhor nossos filhos.” Madigan disse que 75% dos casos “não foram adequadamente investigados pelas dioceses ou não foram  investigados de forma alguma”.

Morador de Boston (Massachusetts), Phil Saviano, 66 anos, lembrou à reportagem que os católicos norte-americanos ficaram estarrecidos com o relatório do grande júri da Pensilvânia, o qual tinha identificado 300 padres abusadores. “Em Illinois, descobrimos, hoje, que há mais do que o dobro desse número. Isso deixa muito claro que ninguém deve pensar que os líderes da Igreja são capazes de erradicar esses predadores de dentro da organização. De fato, parece-me que eles dificilmente desejam fazê-lo”, disse. O relatório da Pensilvânia, divulgado em agosto, motivou Madigan a impulsionar a investigação em Illinois.  Após tomar conhecimento das revelações de Madigan, Saviano desabafou: “Isso me lembra que, há exatamente 26 anos, eu denunciei os abusos que sofri nas páginas do Boston Globe”.  A sua história inspirou Spotlight: Segredos revelados, ganhador do Oscar de melhor filme em 2016.

“Certamente, este é o maior número de padres acusados em um único estado. E acho que surtirá grande impacto sobre os católicos que lutam para manter a fé na religião e a sua confiança nos líderes da Igreja”, comentou Saviano. De acordo com ele, o relatório apresentado pela procuradora de Illinois indica o nível de acobertamento e o quanto os bispos estavam dispostos a mentir para proteger os padres criminosos e a reputação da Igreja. “O enorme número de padres abusivos e o encobrimento deixarão aos católicos as sensações de traição e desilusão. Tudo às vésperas do Natal.”

Responsabilidade

Segundo o relatório apresentado por Madigan, “as dioceses de Illinois perderam de vista tanto o dogma fundamental quanto a necessidade humana mais óbvia como resultado desses abomináveis atos de abuso: a cura e a reconciliação dos sobreviventes”. “Muito tempo depois de os recursos legais terem expirado, a Igreja Católica detém a capacidade e a responsabilidade moral para com os sobreviventes de oferecer apoio e serviços, e de tomar medidas rápidas para remover o clero abusivo”, acrescenta o documento, citado pelo jornal Chicago Tribune.

“Ao optar por não investigar completamente as denúncias, a Igreja Católica fracassou em sua obrigação moral de fornecer aos sobreviventes, paroquianos e ao público uma contabilidade completa e precisa de todos os comportamentos sexualmente inapropriados envolvendo padres em Illinois”, declarou Madigan, por meio de um comunicado.

Ex-diretor da Rede de Sobreviventes de Abusados por Padres (SNAP), David Clohessy admitiu ao Correio que este é o maior escândalo da Igreja dos Estados Unidos. “O novo número ainda é baixo e mais predadores estão escondidos. Por isso, não estamos chocados. Esperamos que cada predador sexual seja exposto, assim como os nomes dos supervisores da Igreja que os têm protegido. Espero que cada vítima encontre coragem para buscar as autoridades da lei e obter a cura”, afirmou, por telefone.

Vozes de sobreviventes


“É uma evidência de que a hierarquia da Igreja é um empreendimento criminoso. O crime básico é o abuso sexual de crianças. Mas outros crimes envolvem o fato de terem ignorado as denúncias por muitos anos!”

 

Phil Saviano, 66 anos, morador de Boston. Abusado dos 10 aos 11 anos pelo padre David Holley, em Worcester (Massachusetts). A história inspirou o filme Spotlight: Segredos revelados

“Esse escândalo revela, claramente, que a Igreja mostra total desrespeito por suas vítimas. Eles não valorizam nossas vidas nem um pouco! Parecem se deleitar com nosso tormento e nossa angústia! Esses não são homens de Deus!”

 

Shaun Dougherty, 48 anos, empresário. Abusado pelo padre George Koharchik, dos 10 aos 13 anos, em Johnstown (Pensilvânia)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade