Publicidade

Correio Braziliense

Aeroporto de Gatwick, em Londres, suspende voos por presença de drones

Os aviões não puderam decolar e vários voos com pousos programados foram encaminhados a outros aeroportos


postado em 20/12/2018 13:42 / atualizado em 20/12/2018 15:48

O gerente chefe de operações de Gatwick, Chris Woodroofe, disse que a polícia está procurando os operadores das aeronaves por controle remoto(foto: AFP)
O gerente chefe de operações de Gatwick, Chris Woodroofe, disse que a polícia está procurando os operadores das aeronaves por controle remoto (foto: AFP)
 

Os voos no Aeroporto de Gatwick, o segundo mais movimentado do Reino Unido, tiveram de ser suspensos nesta quinta-feira, 20, em razão da presença de drones que voavam perto de seu espaço aéreo, prejudicando milhares de pessoas que queriam viajar antes do Natal.


Os aviões não puderam decolar e vários voos com pousos programados foram encaminhados a outros aeroportos, informou a administração de Gatwick, em Londres. Os planos de ao menos 20 mil passageiros já foram afetados e outros milhares ainda devem prejudicados até sexta-feira.

O gerente chefe de operações de Gatwick, Chris Woodroofe, disse que a polícia está procurando os operadores das aeronaves por controle remoto. "Também temos o helicóptero no ar, mas a polícia disse que seria perigoso tentar abater os drones em razão do que pode acontecer com as balas perdidas", disse ele à rádio BBC. Gatwick se desculpou aos passageiros prejudicados no Twitter, acrescentando que a segurança é sua "maior prioridade".

"Meu conselho aos passageiros que viajam hoje e amanhã é verificar os sites das empresas aéreas antes de irem ao aeroporto", disse Woodroofe. Ele alertou que os efeitos cascata nos voos em termos de atrasos e cancelamentos serão sentidos ao menos nas próximas 24 horas.

Riscos

Um aumento de quase colisões entre drones e aviões comerciais intensificou as preocupações com a segurança na indústria da aviação nos últimos anos. No Reino Unido, o número de choques evitados entre drones particulares e aeronaves mais do que triplicou entre 2015 e 2017, e 92 incidentes foram registrados em 2017, segundo a britânica "Airprox Board". (Com agências internacionais).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade