Publicidade

Correio Braziliense

Xi e Trump prometem cooperação no aniversário de suas relações diplomáticas

As tensões entre a China e os Estados Unidos pioraram em 2018 em relação às disputas comerciais


postado em 01/01/2019 09:15

Xi Jinping e Donald Trump expressaram a intenção por meio de mensagens(foto: AFP / FRED DUFOUR)
Xi Jinping e Donald Trump expressaram a intenção por meio de mensagens (foto: AFP / FRED DUFOUR)
Os presidentes da China e dos  Estados Unidos trocaram mensagens em que expressaram sua intenção de intensificar a cooperação bilateral, apesar da atual guerra comercial entre os dois países 40 anos depois do início de suas relações diplomáticas, segundo a imprensa estatal chinesa.

As tensões entre Pequim e Washington pioraram em 2018 em relação às disputas comerciais, embora o presidente dos americano Donald Trump tenha congelado o último pacote de aumento de tarifas, e no sábado passado falou de "grandes projetos" após uma ligação de seu par Xi Jinping.

Nas mensagens enviadas na terça-feira, Xi enfatizou a importância de trabalhar com os Estados Unidos "para fomentar as relações sino-americanas caracterizadas pela coordenação, cooperação e estabilidade", disse a agência estatal de notícias Xinhua. Segundo a agência, Trump, por sua vez, elogiou as últimas quatro décadas de diplomacia entre a China e os Estados Unidos e aludiu à sua "sólida amizade" com o líder chinês.

Washington e Pequim impuseram tarifas mútuas sobre bens no valor de 300 bilhões de dólares no ano passado, mergulhando os dois países em um conflito que começou a reduzir os lucros e levou a quedas no mercado. Trump iniciou a guerra comercial por suas reclamações sobre as práticas comerciais chinesas, o que ele considera injusto - uma preocupação compartilhada pela União Europeia e pelo Japão, entre outros. 

Os dois líderes concordaram com uma trégua durante uma reunião à margem da cúpula do G20 em Buenos Aires, mas houve poucos sinais de progresso. A China e os Estados Unidos estabeleceram relações diplomáticas em 1º de janeiro de 1979 e Washington se comprometeu a manter apenas relações não-oficiais com Taiwan.

Nesse mesmo ano, o então líder Deng Xiaoping, que geralmente é creditado como autor da política de "Reforma e Abertura" da China, que permitiu sua transformação econômica, se reuniu nos Estados Unidos com o presidente Jimmy Carter. As relações entre os dois países melhoraram significativamente desde o seu ponto mais baixo, durante a Guerra Fria, embora enfrentassem uma série de questões delicadas, incluindo Taiwan, direitos humanos e comércio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade