Publicidade

Correio Braziliense

EUA: Democratas da Câmara apresentam plano para financiar governo

Os financiamentos seriam voltados para agências governamentais fechadas com objetivo de colocar centenas de milhares de trabalhadores federais de volta ao trabalho


postado em 01/01/2019 09:19 / atualizado em 01/01/2019 12:47

Com uma semana e meia de paralisação parcial do governo dos Estados Unidos, os Democratas da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos divulgaram seu plano para reabrir o governo sem aprovar dinheiro para a construção do muro na fronteira com o México desejado pelo presidente Donald Trump.

Os Democratas da Câmara anunciaram na segunda-feira dois projetos de lei para financiar agências governamentais fechadas e colocar centenas de milhares de trabalhadores federais de volta ao trabalho. Eles planejavam aprová-los assim que o novo Congresso se reunir na quinta-feira, um dos primeiros atos depois de assumirem o controle da Casa, segundo um assessor que não estava autorizado a discutir o plano e falou sob condição de anonimato. Se o Senado, controlado pelos republicanos, sob o comando do líder da maioria Mitch McConnell, avaliaria os projetos de lei - ou se Trump os sancionaria - não ficou claro. O porta-voz de McConnell Donald Stewart disse que os republicanos do Senado não vão agir sem o apoio de Trump. "É simples: o Senado não vai enviar algo para o presidente que ele não vai assinar", disse Stewart.

A aprovação das propostas na Câmara colocaria pressão sobre Trump. Ao mesmo tempo, oficiais do governo disseram que ele não está com pressa para uma resolução para o impasse. Após as primeiras ameaças de paralisar o governo por causa do muro, Trump agora acredita que tem a opinião pública a seu lado, disseram as autoridades, falando sob condição de anonimato porque não estavam autorizadas a falar publicamente.

Trump passou o fim de semana dizendo que os democratas devem retornar a Washington para negociar, disparando provocações no Twitter. Ele reforçou o desejo de construir um muro de fronteira. "Os democratas provavelmente enviarão um projeto de lei, sendo fofos como sempre, que oferece tudo mas não dá NADA à segurança de fronteira, nomeadamente o Muro", escreveu na noite de segunda-feira. "Por favor, expliquem aos democratas que NUNCA pode haver um substituto para um bom e velho MURO!"

O presidente dos EUA afirmou ainda que "o México está pagando o muro por meio dos muitos bilhões de dólares por ano que os EUA estão economizando com o novo acordo comercial, o USMCA, que substituirá o horrendo acordo comercial do NAFTA, que tanto prejudicou nosso país".

O pacote democrata para acabar com a paralisação incluiria um projeto de lei para financiar temporariamente o Departamento de Segurança Interna nos níveis atuais, com US$ 1,3 bilhão para a segurança na fronteira - muito menos do que US$ 5 bilhões que Trump disse querer para o muro - até 8 de fevereiro, enquanto as conversações prosseguem. Também incluiria outra medida composta de seis outros projetos de lei bipartidários - alguns que já passaram pelo Senado - para financiar os departamentos de Agricultura, Interior, Habitação e Desenvolvimento Urbano e outros fechadas pela paralisação parcial do governo. Isso proporcionaria dinheiro pelo restante do ano fiscal, até 30 de setembro.

Os Democratas estavam seguros de rapidamente aprovar o pacote em duas votações separadas quinta-feira. Elas ocorreriam após a eleição de um novo presidente da Câmara, uma disputa em que Nancy Pelosi é favorita como líder da nova maioria da Câmara.

A Casa Branca não respondeu vários pedidos de comentários sobre a proposta. Senadores republicanos partiram para o recesso recusando-se a votar qualquer proposta até que todos os lados, incluindo Trump, estejam de acordo. Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade